Portugal dos Pequenitos faz 75 anos e quer modernizar-se

O parque inaugura duas novas estruturas no dia de aniversário, o que não acontecia desde a década de 1960.

Foto

O espaço com miniaturas de edifícios das várias regiões do país, bem como das ex-colónias portuguesas, assinala na segunda-feira 75 anos. Inaugurado em 1940 em Coimbra, o parque, propriedade da Fundação Bissaya Barreto (FBB), vai acolher duas novas estruturas: uma obra da artista portuguesa Joana Vasconcelos e uma réplica de uma casa típica das aldeias de xisto, características de uma zona interior do distrito.

Ao PÚBLICO, a presidente da fundação, Patrícia Viegas Nascimento, declara que este é o início de um projecto de modernização do parque. “Está planeada a construção de mais casas regionais e de edifícios emblemáticos de Portugal contemporâneo”, esclarece. As réplicas de casas e monumentos construídos no parque retratam Portugal e as ex-colónias até aos anos 1960, pelo que a intenção é actualizar o espaço.

De acordo com a directora, “já foram ouvidas várias entidades, foram feitos vários inquéritos de rua”, mas casas e monumentos a serem reproduzidos ainda estão em fase de definição, “por uma questão de minúcia, de construção e de custos”.

A construção das réplicas contemporâneas vai ser feita “de forma faseada”, mas Patrícia Viegas Nascimento explica que a intervenção no espaço não está reduzida a novos edifícios. O projecto “tem uma nova dinâmica de oferta de serviços como a restauração, uma loja, estruturas pedagógicas e novos conteúdos para os edifícios que já estão construídos”.

Com o tempo, o Portugal dos Pequenitos foi perdendo a vegetação própria de cada região que se encontrava junta ao respectivo pavilhão. Parte da intervenção planeada para o espaço passa por “plantar todas essas espécies e criar uma zona de sombra, algo que também falta no parque”. A directora prefere não divulgar, para já, os prazos da intervenção, mas adianta que, apesar da construção de novas réplicas, a área do parque não será aumentada.

Quanto às estruturas a inaugurar no dia de aniversário, a peça Casa de Chá, da autoria de Joana Vasconcelos e instalada permanentemente no Portugal dos Pequenitos, é uma réplica em menor escala de peças anteriores da artista, exibidas em Versalhes e na Coreia do Sul. Construída em ferro forjado, a peça assume a forma de um bule (com as dimensões de 230x327x224 centímetros), com bancos no interior e plantas de jasmim (utilizadas para aromatizar o chá verde) a ornamentar. O atelier da artista demonstra satisfação pela participação nesta “primeira marca da contemporaneidade no Portugal dos Pequenitos”.

Também as aldeias de xisto da Lousã passam a estar representadas no parque. A reconstituição de uma casa típica desta região do distrito de Coimbra foi construída em parceria com a Agência para o Desenvolvimento Turístico das Aldeias do Xisto. De acordo com o comunicado da agência, para além da casa, foi também construída uma estrutura com socalcos e plantas autóctones, a evocar a cenografia típica da região.

Patrícia Viegas Nascimento assegura que, apesar das várias intervenções planeadas para o parque, o objectivo é “manter o espírito com que foi, na altura, idealizado: um parque essencialmente pedagógico”.

A cerimónia de segunda-feira, que contará com a presença do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, não encerra o programa de comemorações do 75.º aniversário do Portugal dos Pequenitos. Segundo ao presidente da FBB, ao longo do ano vão ainda realizar-se peças de teatro sobre “vários momentos da História de Portugal” e será aberta ao público uma exposição alusiva à origem e concepção do espaço, com desenhos da autoria do arquitecto Cassiano Branco.