Sporting diz que dinheiro para contratar Jesus não vem de Angola nem da Guiné Equatorial

Clube de Alvalade descarta envolvimento de investidores externos.

Bruno de Carvalho já trouxe seis caras novas para o plantel do Sporting
Foto
Bruno de Carvalho já trouxe seis caras novas para o plantel do Sporting Nuno Ferreira Santos

Depois de anunciar a rescisão do contrato de Marco Silva, alegando justa causa, a SAD do Sporting esclareceu que a contratação do novo treinador dos “leões” – Jorge Jesus – não conta com o envolvimento de qualquer investidor externo.

“O Conselho de Administração do Sporting Clube de Portugal, Futebol - SAD, vem repudiar de forma veemente todas as notícias hoje publicadas e/ou difundidas dando conta da intervenção de entidades externas ao Clube, nomeadamente de Álvaro Sobrinho e da HOLDIMO (tendo esta uma participação no capital social da Sociedade de 29,9%), de investidores da Guiné Equatorial ou outros, em quaisquer negócios relativos à sua actividade, para além dos naturalmente decorrentes do seu estatuto de accionista”, pode ler-se no comunicado divulgado pelo emblema de Alvalade.

Quando surgiu a notícia da mudança de Jorge Jesus do Benfica para o Sporting, foi adiantado que a operação poderia ser financiada por investimento externo à SAD “leonina”, mas esse cenário foi colocado de parte pelo comunicado agora divulgado.