DR
Foto
DR

Alguém viu os Crusaders? Estão Aqui!

A equipa de Christchurch voltou aos bons resultados e alcançou uma vitória clara sobre os Hurricanes na 16.ª jornada do Super Rugby

Na 16.ª jornada do Super Rugby, os Crusaders não deram hipótese aos Hurricanes e foram a segunda equipa a ganhar aos “canes” este ano. A equipa de Wellington tem um lugar garantido nos play-off, mas os Crusaders, sete vezes campeões, ainda dependem de duas vitórias e de resultados de terceiros para conseguir esse acesso. Os Chiefs estiveram muito desinspirados, perdendo em casa dos Highlanders, enquanto os Stormers infligiram uma pesada derrota aos Cheetahs.

 

Crusaders-Hurricanes (35-18)

PÚBLICO -
Foto

Apesar das ausências de Colin Slade, Kieran Read, Sam Whitelock e Israel Dagg, os Crusaders realizaram uma das melhores exibições da época e logo frente aos Hurricanes, que têm feito as delícias dos adeptos esta época. Dan Carter jogou a médio de abertura e nessa posição expressou todas as suas valências. Nemani Nadolo fez mais um “jogaço”, sendo o grande obreiro desta vitória. Drummond abriu para os Crusaders com os pontapés de Carter a dilatar o marcador, mas um vermelho a Robbie Fruean, permitiu que os “canes” marcassem por Coles, mantendo o resultado aberto (16-8). Trinta segundos depois do reatar do segundo tempo, Ardie Savea marca pelos forasteiros, mas de seguida os Crusaders tomaram conta do jogo e dilataram a vantagem com ensaios de Tuivake, Todd e Nadolo.

 

Brumbies-Bulls (22-16)

Um jogo com três ensaios para os Brumbies (Smiler e bis de Speight) contra apenas um dos Bulls (Labuschagne) que, muito provavelmente, ditou o adeus dos sul-africanos Bulls ao play-off, já que os Bulls estão dependentes de resultados de terceiros. Os Brumbies foram sempre mais coesos e determinados e o ensaio de Labuschagne, aos 67’, na sequência de um maul, apenas chegou para os sul-africanos somarem o bónus defensivo.

 

Sharks-Rebels (25-21)

Apesar dos três ensaios para cada lado, as conversões fizeram a diferença entre sul-africanos e australianos. Os Sharks começaram melhor e Sithole marcou depois de uma zaragata entre jogadores que custou um amarelo à equipa da casa e um vermelho aos forasteiros. O capitão dos Rebels Higginbotham ainda puxou dos galões e marcou o seu 31.º ensaio, mantendo os Rebels dentro do resultado ao intervalo, mas no início da segunda parte, Mvovo e Williams fizeram toque de meta para os Sharks, com os Rebels a pressionarem muito e ainda a conseguirem mais um ensaio por Higginbotham (jogo exemplar) e Hegarty. O ponto de bónus defensivo para os visitantes foi curto para a exibição australiana.

 

Highlanders- Chiefs (36-9)

Os Highlanders conseguiram a sua segunda vitória frente aos Chiefs este ano, com ponto de bónus ofensivo e com a raridade de não terem permitido um ensaio aos visitantes. A pressão foi sempre muito alta, com pontapés altos que favoreciam erros de manipulação de bola pelos Chiefs e acima de tudo, garantiam uma posse e território para a equipa de Dunedin. Osborne marcou no primeiro tempo e, com 11-3 ao intervalo, esperavam-se uns Chiefs diferentes. Mas estiveram sempre apagados e ainda sofreram mais três ensaios: Naholo, Buckman e Ben Smith. Lima Sopoaga somou 16 pontos.

 

Force-Reds (10-32)

Depois da ausência de dois meses devido a uma lesão no ombro, Quade Copper voltou e de que maneira! Marcou dois ensaios, esteve envolvido nos outros dois de Lachie Turner e na sua conta pessoal ficou com 22 pontos marcados. A Force apenas marcou pelo defesa Haylett-Petty.

 

Stormers-Cheetahs (42-12)

Os Stormers venceram por cinco ensaios a dois, mas acima de tudo pela capacidade de Demetri Catrakilis de pontapear as suas bolas e de uma mêlée que é praticamente irrepreensível e que faz toda a diferença no jogo dos homens do Cabo. Seabelo Senatla depois de 43 ensaios no Circuito Mundial de sevens, voltou aos Stormers conseguiu dois ensaios. De Allende, Kock e Motsche foram os outros marcadores de cinco pontos dos Stormers, enquanto pelos Cheetahs marcaram Boom Prinsloo e Greef.

 

Lions-Waratahs (27-22)

Três ensaios para cada lado, com bis de Combrinck para os Lions, e Jantjies a pontapear tudo e mais alguma coisa fizeram a diferença para a equipa de Joanesburgo. Com esta derrota, os campeões Waratahs vão ter que sofrer até ao fim para garantiram um lugar no play-off.