Passos Coelho diz que estaleiros de Viana foram “erro do passado” que acabou bem

“O Governo não hesitou naquilo que tinha que fazer", defendeu o primeiro-ministro.

A via será "pelo lado da despesa", disse o primeiro-ministro
Foto
Pedro Passos Coelho Daniel Rocha/Arquivo

O primeiro- ministro, Pedro Passos Coelho, considerou nesta quarta-feira os Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC) como um dos "erros do passado" que "acabou bem", porque o Governo não hesitou em avançar com a subconcessão da empresa pública.

"Temos aprendido alguma coisa com o nosso passado e podemos dizer que as sociedades não estão obrigadas nem condenadas a repetir os mesmos erros. Nós podemos aprender com os erros do passado e poder dar um horizonte de futuro muito diferente aos cidadãos portugueses", afirmou Passos Coelho.

O primeiro-ministro falava nos estaleiros da West Sea durante a cerimónia que assinalou um ano desde que aquela empresa do grupo Martifer assumiu a subconcessão dos terrenos e infraestruturas dos ENVC.

"Não há dúvida nenhuma que, se a história que hoje podemos observar aqui nesta empresa acabou bem, acabou bem porque o Governo não hesitou naquilo que tinha que fazer", sustentou.