DR
Foto
DR

Saracens vingam-se, Bath contundente

Os Northampton Saints, vencedores da Fase Regular, caíram em casa, enquanto os Leicester Tigers foram arrasados nas meias-finais da Premiership

Quase um ano depois de se encontrarem no jogo decisivo da Premiership 2013-14, Saracens e Northampton Saints mediram forças na meia-final da competição e, desta vez, os londrinos vingaram-se da derrota da época passada. A jogar no Franklin’s Gardens, casa dos Saints, os Saracens foram mais fortes: 24-29. Na outra meia-final, Bath não deu hipóteses e afastou os Leicester Tigers, por claros 47-10.cCom estas vitórias, Saracens e Bath defrontar-se-ão na final de Twickenham.

No Franklin’s Gardens os primeiros vinte minutos foram muito intensos e disputados, com os Saints a acusarem alguma pressão, notando-se falta de comunicação entre os jogadores e uma certa apreensão aquando da posse de bola. Os “sarries” aproveitaram este atordoamento do adversário da melhor maneira e, após um pontapé alto de David Strettle, que o próprio perseguiu, Duncan Taylor apanhou a bola e num offload permitiu a Strettle ficar com os louros do ensaio. Owen Farrell conseguiu uma conversão difícil e assim estavam os dados lançados.

A formação de Northampton respondeu com fases estáticas muito seguras, particularmente os alinhamentos, formando driving mauls devastadores. Nessa sequência, Mako Vunipola foi para o sin bin e com nova acção faltosa, desta feita de Farrell, seria concedido um ensaio de penalidade aos homens da casa, devidamente convertido por Myler.

PÚBLICO -
Foto

No início do segundo tempo, com 13-13 no marcador, Jamie George para os Saracens e Tom Wood para os Saints marcaram ensaios e a partir desta fase, apenas a punição de erros foi fulcral para o resultado, com Farrell melhor (19 pontos) do que Myler (14). As penalidades são cada vez mais essenciais num jogo de râguebi e Myler não esteve tão exemplar como o costume.

Na outra meia-final, Bath não deu qualquer hipótese aos Leicester Tigers, com sete ensaios marcados contra apenas um dos forasteiros (Tom Youngs). Bath entrou de rajada com dois toques de meta (Matt Banahamn e Kyle Eastmond), mas a posse sempre esteve mais do lado dos Tigers que à passagem da meia hora conseguiram reduzir com o ensaio de Youngs (21-10).

Bath defendeu melhor e aproveitou as oportunidades de maneira exemplar (os restantes ensaios foram de Anthony Watson, George Ford, Peter Stringer e o terceiro de Matt Banahan), garantindo a sua primeira presença numa final desde 2004.

Sugerir correcção