DR
Foto
DR

Glasgow e Munster jogam em casa nas meias-finais

A vitória sem ponto de bónus dos Ospreys permitiu a escoceses e irlandeses terminar no top a Fase Regular da Pro 12

Os Ospreys foram os grandes derrotados na 22.ª e última jornada da Fase Regular da Guiness Pro 12, apesar de terem vencido. Os galeses entraram para a derradeira ronda no primeiro lugar, em igualdade pontual com os Glasgow Warriors e Munster, mas não somaram o bónus ofensivo, ao contrário dos seus rivais, e caíram para a terceira posição. Com estes resultados, escoceses e irlandeses terão a vantagem de jogar em casa, recebendo Ulster e Ospreys, respectivamente.

 

Edinburgh -Leinster (23-36)

PÚBLICO -
Foto

A equipa de Edimburgo fez uma boa época e talvez merecesse o sétimo lugar e um lugar nos play-offs das provas europeias, mas tal não acontecerá após a derrota com o Leinster, por uma diferença de 13 pontos, e perante as vitórias de Scarlets e Connacht, que se apoderaram do sexto e sétimo lugar, respectivamente. Depois de 15 minutos de jogo com 3-3, Noel Reid marcou ensaio pelo Leinster, para logo se sentir a resposta da equipa da casa com um toque de meta de Hamish Watson. Antes do intervalo, Jack Conan dilatou para o Leinster, que assim partiu para o segundo tempo a liderar por 17-10. Zane Kirchner abriu o segundo tempo a marcar, Tim Visser ainda reduziu, mas com mais dois ensaios (Jordi Murphy e Luke McGrath) para os forasteiros, o resultado pendeu definitivamente para o lado dos Irlandeses.

 

Glasgow-Ulster (32-10)

A entrada destemida do Ulster teve um travão com a lesão de Franco van Der Merwe. Bolas a serem enviadas sempre para a defesa do Glasgow e Jonny Gray com amarelo voltaram a levantar a moral do Ulster, com Chris Henry a marcar ensaio na sequência de um maul. O Ulster foi para o intervalo a ganhar por 10-6, mas a segunda parte foi do Glasgow. Matawalu e Hogg muito trabalhadores e quatro ensaios marcados por Finn Russell (bis), Hogg e Richie Vernon, garantiram aos escoceses a vitória no jogo e o primeiro lugar na classificação.

 

Cardiff Blues-Zebre (29-5)

Foi um jogo morno, com as equipas a mostrarem pouca vontade de jogar e só aos 29 minutos a partida ganhou alguma animação, com o ensaio de Alex Cuthbert. Seguiram-se três ensaios dos Blues e um pequeno laivo de inspiração do Zebre, com Valerio Bernabo a fazer toque de meta, mas Garyn Smith com o seu ensaio acaba por fechar as contas a favor dos galeses.

 

Munster-Newport Gwent Dragons (50-27)

As cerca de oito mil pessoas que estiveram no Irish Independent Park assistiram a um bom jogo, com muitos ensaios: 12. Conor Murray foi o homem do jogo com um hat trick, que se revelou decisivo para o Munster disputar a meia-final em casa, na próxima semana. Os irlandeses entraram com determinação e ao fim de 23 minutos já tinham quatro ensaios marcados. A equipa da casa decidiu então desacelerar e o Newport aproveitou para marcar três ensaios. Na segunda metade da segunda parte, o Munster voltou a acordar e ofereceu um espectáculo de “bola”, com Jack Dixon a ter a última palavra com um ensaio marcado para os visitantes.

 

Connacht-Ospreys (20-24)

A vitória dos Ospreys acabou por ser curta e não chegou para garantir uma meia-final em casa. Num embate de dois irlandeses contra três ensaios galeses, foram os 14 pontos de Dan Biggar a fazer a diferença. A primeira parte foi dos Ospreys, que estiveram totalmente irrepreensíveis (24-0 ao intervalo), mas o quarto ensaio que lhes permitiria o ponto de bónus não chegou, muito por culpa de um Connacht bem apetrechado defensivamente. Para além de se manter coeso na defesa, a formação irlandesa começou a carburar o seu ataque e respondeu aos 24 pontos da primeira parte com 20 pontos sem resposta.

 

Treviso-Scarlets (13-17)

Os italianos entraram melhor com dois ensaios de Davide Giazzon e Jayden Hayward, que lhes permitiu seguir para intervalo a liderar, por 13-3. Mas na segunda parte os Scarlets, que estavam na luta por um lugar que desse acesso às provas europeias, reagiram e com esforço conseguiram recuperar com ensaios de Liam Williams e de Steffan Evans, com Rhys Priestland a mostrar eficiência nas conversões.

Sugerir correcção