DR
Foto
DR

Exeter Chiefs perderam a corrida no photo finish

Northampton Saints, Bath Rugby, Leicester Tigers e Saracens apuraram-se para as meias-finais da Premiership

A 22.ª e última jornada da Fase Regular da Premiership acabou por ser fatal para os Exeter Chiefs. Numa luta palmo a palmo com Leicester Tigers e Saracens por um lugar nos quatro primeiros do campeonato inglês, a formação de Exeter acabou por ficar de fora no desempate e as meias-finais da prova, que se realizarão no próximo dia 23 de Maio, serão as seguintes: Northampton Saints-Saracens, Franklin’s Gardens; Bath Rugby-Leicester Tigers, no Recreation Ground.

 

Exeter Chiefs-Sale Sharks (44-16)

PÚBLICO -
Foto

Sete ensaios para os Chiefs e dois para os Sale nem colocaram no marcador um desnível final enganador, visto que os dois amarelos e o vermelho para os forasteiros determinaram o desfasamento final no resultado. O esforço dos Chiefs foi notório ao tentarem somar o bónus ofensivo para apanhar os Saracens e conseguir assim um lugar nas meias finais, mas esse esforço acabou por revelar-se infrutífero. Aos 53 e 64 minutos, Leota e Cueto foram para o sin bin e a quatro minutos do fim, Ross Harrisson recorrendo ao pugilato foi directamente avermelhado. Estas situações de indisciplina foram providenciais para o sucesso dos Chiefs.

 

Newcastle Falcons-Harlequins (37-21)

Na despedida do “9” Mike Blair dos Falcons (a caminho de Glasgow), nada melhor que marcar um ensaio e estar directamente ligado à primeira vitória da equipa em quatro meses. Os Falcons começaram melhor e ao intervalo já lideravam por 11-3 e merece destaque os excelentes alinhamentos e driving mauls do Newcastle, que os Quins tiveram muita dificuldade em parar. Os Falcons mudaram muito os canais de jogo e sempre com boa dinâmica, enquanto os Harlequins insistiram muito no pick and go, sem ganharem vantagem com isso.

 

Bath-Gloucester (50-30)

Com esta vitória, o Bath garantiu uma presença nas meias-finais em casa, onde defrontará os Tigers. Num jogo com 80 pontos, a equipa da casa conseguiu inscrever sete jogadores diferentes na lista dos marcadores de ensaios. Aos três minutos o Gloucester já fazia mossa com um toque de meta do n.º 8 Lewis Ludlow. Pouco tempo depois, o Bath respondeu com ensaios de Kyle Eastmond e George Ford, tendo Burgess mostrado um excelente trabalho de pés e dilatando a vantagem. Antes do intervalo, McColl ainda reduziu (21-13). Nick Wood viu amarelo e os “cherry and white” ficaram abalados, mas ainda capazes de marcar mais dois ensaios. Bath aproveitou e dilatou a vantagem através de Anthony Watson, Samesa Rokuduguni, Ollie Devoto e Horatio Agulla.

 

London Welsh-Saracens (17-68)

Foram precisos dez ensaios (quatro deles do ponta direito Chris Ashton) para garantir um lugar aos Saracens nas meias-finais da prova. Contra os “exilados”, a tarefa foi facilitada, pois os Welsh terminaram a prova com apenas um ponto nas 22 jornadas da fase regular. Como se depreende, foi um jogo de um só sentido em que Ashton conseguiu o feito de marcar três ensaios em cinco minutos. Os manos Vunipola também marcaram, assim como Alex Goode, David Strettle, Juan Figallo e Charlie Hodgson.

 

London Irish-Londos Wasps (40-40)

Empates a 40 pontos é algo sempre de admirar! Num jogo de domínio alternado, o resultado ao intervalo era de 22-18, já expressava o equilíbrio que se iria confirmar no final. James Short foi o homem providencial ao marcar um ensaio nos últimos instantes, garantindo o empate para a equipa da casa num duelo com cinco toques de meta para cada lado (com bis de Sailosi Tagicakibau dos Wasps)

 

Leicester Tigers-Northampton Saints (22-14)

Os Tigers entraram no jogo determinados a prolongar a sua presença em jogos da Premiership para além da fase regular e, mas terminaram a primeira parte em desvantagem: apesar do ensaio do “8” Jordan Crane, três penalidades dos Saints convertidas por James Wilson colocavam o marcador em 8-9. No reatamento, a mêlée dos Tigers comportou-se impecavelmente, colocando enorme pressão nos adversários, o que deu origem a dois amarelos seguidos para o pack dos Saints, abrindo assim a porta da vitória para os da casa. Um toque de meta de Niall Morris e uma penalidade de Tommy Bell abriram definitivamente o caminho do triunfo para os Tigers, embora Tom Stephenson ainda tenha feito um ensaio.

Sugerir correcção