Avalanche

Ruben Östlund põe em movimento um questionamento que não deixa ninguém incólume.

Foto
Uma família, uma avalanche, um jeu de massacre impiedoso DR

startIndex cannot be larger than length of string. Parameter name: startIndex
ARTIGO_CINEMA

Mas o que faz Força Maior transcender a mera entomologia niilista é o modo como o formalismo do dispositivo (uma família, fechada numa estância de esqui, ao longo de uma semana) abre espaço para a revelação das personagens: é como se a avalanche que assusta todos se transformasse numa avalanche emocional, que leva toda a gente — incluindo o espectador — a pôr literalmente tudo em causa. E fá-lo na convergência de cineastas tão diferentes como Stanley Kubrick (é impossível não pensar no Shining), Michael Haneke (aqui também se fala de “brincadeiras perigosas”) e Steven Spielberg (a estância de esqui é um outro tipo de “parque jurássico”). Por onde se quiser ver, Força Maior é daqueles filmes que não se fecham.