DR
Foto
DR

McCaw e Carter despedem-se em grande de Christchurch

Na 13.ª jornada do Super Rugby, os Hurricanes continuaram a sua época notável, enquanto os Waratahs voltaram a desiludir

Com alguns resultados inesperados à mistura, a 13.ª jornada do Super Rugby ficou marcada pelo mais que provável último jogo de Richie McCaw e Dan Carter em Christchurch com a camisola dos Crusaders. A equipa neozelandesa realizou frente aos Reds a última partida da época em casa e na próxima edição do Super Rugby os dois emblemáticos jogadores já não vão defender a camisola dos Crusaders.

 

Crusaders-Reds (58-17)

PÚBLICO -
Foto

Numa temporada cheia de altos e baixos, os Crusaders conseguiram dominar os frágeis Reds sem apelo nem agravo. A história do jogo foi mesmo o rolo compressor neozelandês, com Nadolo a fazer dois ensaios. O duelo ficou marcado por ter sido a última partida de Dan Carter (vai mudar-se para França) e Richie McCaw (retira-se após o Mundial 2015) em Christchurch com a camisola dos Crusaders.

 

Rebels-Blues (42-22)

Num embate discutido taco a taco, os Rebels começaram em vantagem mas ainda apanharam um susto no início da segunda parte, com um perigoso 18-17. A partir dai, foi o abrir do jogo dos australianos, que já na semana passada tinham feito um brilharete ao baterem os Chiefs, por 16-15. Neste encontro, cinco bons ensaios e muita determinação fizeram a diferença a favor dos Rebels (ensaios de Fainga’a, Smith, Higginbotham, Shipperley e Debreczeni) que estão na luta por um lugar nos play-off.

 

Hurricanes-Sharks (32-24)

Numa partida com sete ensaios (quatro para os Hurricanes e três para os Sharks), a incerteza sobre o vencedor manteve-se até final. Os Sharks estiveram na frente do resultado por três vezes, mas nunca conseguiram resistir aos ímpetos atacantes dos “Canes”, que continuam a realizar uma temporada notável: 10 jogos e apenas uma vitória.

 

Force-Waratahs (18-11)

Depois de uma vitória suada na última jornada frente aos Brumbies, por 10-13, os Waratahs não conseguiram desta feita ultrapassar os Western Force, que ocupavam o último lugar. Curiosamente a equipa de Perth parece ser a formação ideal para derrotar os defensores do título, depois de na primeira jornada lhes ter infligido um desaire: 25-13. A equipa da casa marcou ensaio ainda na primeira parte por Ryan Louwrens, com resposta dos “Tahs”, aos 53’, por Naiyaravoro. Aos 63’, o ensaio de Hodgson fez pender a balança definitivamente para os anfitriões.

 

Lions-Highlanders (28-23)

Depois de uma primeira parte dominada pelos Highlanders com ensaios de Evans e Fekitoa - Sopoaga cumpriu nos pontapés -, o resultado ao intervalo de 20-3 não fazia antever dificuldades para os neozelandeses baterem a equipa dos Lions. A segunda parte, no entanto, foi bem diferente, com a formação de Joanesburgo a ter mais posse de bola, boa reciclagem e assertividade defensiva. Os inevitáveis ensaios dos Lions chegaram por intermédio de Skosan, Kriel e Vorster, com pontapés de Jantjes. Os Lions perfilam-se assim para um lugar no top seis, estando apenas a dois pontos desse objectivo.

 

Stormers-Brumbies (25-24)

Num jogo em que os Brumbies marcaram dois ensaios (Tomane e Pocock) contra apenas um dos Stormers (Burger), foram as 18 penalidades concedidas que fizeram pender o resultado para os sul-africanos (cinco convertidas por Catrakilis). O terceiro melhor marcador até ao momento do Super Rugby, Lealiifano, com 114 pontos, teve nos pés e em zona frontal a oportunidade de garantir a vitória para os Brumbies a oito minutos do fim, mas falhou. Um ponto separa agora estas duas equipas na tabela classificativa, com vantagem para a equipa da Cidade do Cabo.