Misericórdia do Porto com horta para pessoas com mobilidade reduzida

Com uma área de 1600 metros quadrados, o espaço tem a terra elevada “a múltiplos níveis” para que todos possam aceder ao cultivo.

Foto
RICARDO SILVA

A Misericórdia do Porto inaugura na terça-feira o espaço “Mãos à Horta!”, destinado à criação de hortas em vários níveis de terreno de modo a que possam ser tratadas por pessoas com problemas de mobilidade ou postura.

Estas “hortas acessíveis” destinam-se, para já, a 110 utentes do Centro Integrado de Apoio à Deficiência (CIAD) da Santa Casa da Misericórdia do Porto (SCMP), mas a intenção é “abri-las ao público”, revelou à Lusa fonte daquela instituição.

Com uma área de 1600 metros quadrados, o espaço tem a terra elevada “a múltiplos níveis” para que todos possam aceder ao cultivo, “independentemente da sua mobilidade ou postura”, incluindo se usarem cadeira de rodas.

Será a “este tipo de público” que a SCMP pretende, no futuro, disponibilizar terra para a prática da agricultura em “três tipos de hortas”.

Em comunicado, a instituição explica que o projecto é composto por hortas “adaptadas” e “elevadas”, para além das comuns, “que permitem um trabalho tradicional de cultivo e floricultura”.

Quanto às hortas adaptadas, são “espaços de cultivo elevados a 80 centímetros, rodeados por lajetas de cimento”, de modo a permitir “um trabalho no terreno por parte de pessoas que se deslocam em cadeiras de rodas”.

“As elevadas consistem em terrenos subidos a sensivelmente 50 centímetros e rodeados por fardos de palha. Este sistema permite que o terreno seja trabalhado com os clientes sentados na palha, diminuindo a fadiga da tarefa e aumentando o tempo de permanência na mesma”, acrescenta a SCMP.

Em comunicado, a instituição nota que a jardinagem e agricultura são “estratégias de intervenção para o trabalho de múltiplos conceitos e competências”, nomeadamente “a relação espacial e temporal”, as “relações sócia afectivas, o ato de cuidar e tratar, a participação activa num processo construtivo e de transformação”, bem como de “estimulação sensorial”.