Portugal tem 5.000 vagas para empregos digitais

Director-geral da Microsoft Portugal estima que existam em Portugal 5000 ofertas de emprego por preencher na área das Tecnologias de Informação

Foto
Fabrizio Bensch/Reuters

O director-geral da Microsoft Portugal João Couto disse esta segunda-feira que existem em Portugal 5000 ofertas de emprego por preencher na área das Tecnologias de Informação (TI), sublinhando que este é um sector "onde não existe desemprego".

A Microsoft assinou um protocolo com o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), que dá continuidade às 30 Academias IT disponíveis nos centros de emprego, permitindo aos desempregados usar gratuitamente o "software" da empresa norte-americana durante o período de formação.

A Microsoft estima que cerca de 250 mil desempregados irão beneficiar anualmente do "software" gratuito nos próximos três anos, durante o seu período de formação As Academias, lançadas há cerca de um ano, permitem aos desempregados "melhorarem as suas qualificações e estarem mais bem preparados para regressar ao mercado de trabalho", adiantou João Couto na cerimónia desta segunda-feira onde foram entregues os diplomas aos primeiros oito formandos do IEFP a obter a certificação da Microsoft.

Segundo o presidente da Microsoft Internacional Jean-Philippe Courtois, o objectivo é certificar mais 10 mil desempregados até 2016. João Couto salientou que existem "cerca de 5.000 vagas por preencher" no sector das TI em Portugal e que surgirão nos próximos anos mais de 900.000 ofertas de trabalho em toda a Europa.

O secretário de Estado do Emprego, Otávio Oliveira, considerou que esta parceria representa uma "mais-valia para a empregabilidade" dos inscritos nos centros de emprego e assinalou que "as necessidades apontam para um substancial reforço da formação digital". Considerou ainda que existem oportunidades para a reconversão profissional de diplomados do ensino superior em áreas de baixa empregabilidade para empregos digitais, designadamente na área da programação.