A sonda Messenger da NASA está a horas de se esmagar em Mercúrio

Desde 2011 que esta nave espacial tem andado a recolher imagens e a permitir descobertas sobre o planeta mais próximo do Sol. A sua missão chega ao fim.

Foto
Mercúrio fotografado pela Messenger em 2008, antes da colocação da sonda na sua órbita definitiva REUTERS/NASA/JHUAP/ Universidade Estadual do Arizona

O impacto, que deverá criar uma cratera com mais de 15 metros de diâmetro, acontecerá do lado oposto de Mercúrio em relação a nós, não sendo portanto visível da Terra. A NASA confirmará a destruição do engenho através da interrupção dos seus sinais de rádio.

Lançada em Agosto de 2004, a Messenger percorreu 7900 milhões de quilómetros – incluindo 15 voltas em torno do Sol, uma passagem pela Terra, duas por Vénus e três por Mercúrio – antes de se inserir na sua órbita final em Março de 2011, explica a NASA no seu site.   

A sonda ultrapassou de longe as expectativas, tanto pela duração da missão como pela quantidade e qualidade dos dados que recolheu através das câmaras e instrumentos de alta tecnologia que levava a bordo, salienta ainda a AAS.

Por um lado, enviou para a Terra mais de 250.000 imagens de Mercúrio – 100 vezes mais do que previsto –, mapeando o planeta com um pormenor sem precedentes. Por outro, estudou a gravidade e o campo magnético de Mercúrio; descobriu uma surpreendente quantidade de água na sua exosfera (a ténue atmosfera que envolve o planeta); detectou indícios de actividade vulcânica no passado; e recolheu dados que sugerem que Mercúrio poderá ter um núcleo de ferro líquido.

Com um peso de meia tonelada, a sonda irá esmagar-se em Mercúrio a uma velocidade de 14.000 quilómetros por hora. Os engenheiros da NASA prevêem que o evento aconteça perto das 20h30 (hora de Lisboa) – embora admitam que a sonda poderá ainda ter balanço suficiente para completar mais uma a volta a Mercúrio, o que prolongaria a espera por mais oito horas.

O evento pode ser acompanhado em directo via Web.