Barcelona nas meias-finais pela oitava vez em dez anos

Catalães demonstraram mais uma vez a sua superioridade em Camp Nou eliminando o PSG.

Neymar foi o autor dos dois golos em Camp Nou
Foto
Neymar foi o autor dos dois golos em Camp Nou Gustau Nacarino/Reuters

A esperança de um milagre do PSG em Camp Nou durou apenas 14 minutos, o tempo necessário para o Barcelona inaugurar o marcador e encerrar quaisquer dúvidas que persistissem na eliminatória, após o triunfo em França, por 3-1, há uma semana. O conjunto de Luiz Enrique voltaria a vencer, desta vez por 2-0, com o brasileiro Neymar a bisar no encontro. Pela oitava vez na última década, o gigante catalão estará nas meias-finais da Liga dos Campeões, que venceu por três vezes neste período.

Depois do desaire caseiro, o estado de espírito do PSG para a segunda mão dos quartos-de-final não era o melhor e o clima depressivo dos franceses ficou bem patente na primeira metade da partida. Faltou tudo aos visitantes, que subiram ao relvado sem qualquer expectativa em relação ao seu destino na prova. Não tiveram bola, não impuseram intensidade ou agressividade à partida, não remataram, cederam a iniciativa e foram sempre dominados.

A pressionar alto, com as linhas sempre subidas, o Barcelona não teve de se esforçar muito para impor o seu futebol e, com naturalidade e grande permissividade do PSG, chegou à vantagem. Uma grande jogada de Iniesta deixou três adversários para trás, antes de desmarcar Neymar, que ultrapassou o defesa central David Luiz (desastroso no conjunto das duas mãos) e o guarda-redes Sirigu, antes de encostar para as redes. Tudo resolvido em 14 minutos.

A missão do Barcelona estava cumprida, mas a equipa catalã ainda não estava completamente satisfeita, para desgraça do PSG, que parecia desejar estar em todo o lado menos em Camp Nou. Aos 24’, Dani Alves e Neymar voltaram a levar perigo à baliza francesa, mas os dois internacionais brasileiros teriam de esperar mais dez minutos para festejar. O defesa direito fez o que quis de Maxwell na direita, cruzou para o avançado que cabeceou para o segundo golo e quase sem tirar os pés do chão.

Com a eliminatória mais que resolvida, as duas equipas cumpriram calendário na segunda metade. Os catalães baixaram drasticamente o ritmo, que já não era particularmente intenso, e o PSG lá arriscou alguma coisinha no ataque, por intermédio de dois jogadores que falharam a primeira mão por castigo. Aos 59’, Verratti atirou ao lado e, aos 73’, Ibrahimovic acordou para o jogo com um forte remate (o único enquadrado com a baliza dos franceses ao longo dos 90’) que Ter Stegen defendeu.

Sem qualquer surpresa, o Barcelona chega pela oitava vez em dez anos às meias-finais da Champions, numa demonstração clara do domínio que tem exercido neste período no futebol europeu.

Sugerir correcção