Nova bateria de alumínio pode ser carregada num minuto

Protótipo apresentado como uma alternativa mais rápida no carregamento, mais durável e menos dispendiosa.

Uma equipa de cientistas da Universidade de Stanford, na Califórnia, alega ter criado a primeira bateria de alumínio de alta-performance que é rápida a carregar, de longa duração e de baixo custo. O produto pretende ser uma alternativa segura às baterias que se encontram no mercado, tanto para o utilizador como para o ambiente.

É conhecido que o alumínio é um material com muito potencial para ser utilizado em baterias, devido ao seu baixo custo, reduzido risco de inflamabilidade e de ter uma elevada capacidade de armazenamento de energia. Pegando nestas características, uma equipa de cientistas de Stanford desenvolveu uma bateria de alumínio e iões.

“Desenvolvemos uma bateria de alumínio recarregável que pode substituir dispositivos de armazenamento já existentes, como as baterias alcalinas, que são nocivas para o ambiente, e baterias de iões de lítio, que ocasionalmente se incendeiam”, afirmou Hongjie Dai, professor de Química em Stanford.

A nova bateria foi criada quase por acidente, confessa o professor num comunicado divulgado pela universidade. “Descobrimos acidentalmente que uma solução simples era usar grafite, que é basicamente carbono. No nosso estudo, identificámos alguns tipos de material de grafite que nos deram uma muito boa performance”, explicou Hongjie Dai.

Uma clássica bateria de alumínio e iões funciona com dois eléctrodos. Um ânodo carregado negativamente feito de alumínio e um cátodo carregado positivamente. Na experiência desenvolvida em Stanford, a equipa colocou o ânodo de alumínio e o cátodo de grafite juntamente com um electrólito à base de líquido iónico, dentro de uma bolsa revestida a polímeros. Segundo a equipa, o electrólito é uma espécie de sal que fica em estado líquido à temperatura ambiente, o que o torna seguro.

A rapidez de carregamento é outra das principais características da bateria. Com o protótipo criado, o tempo que demora a carregar chegou a ser de um minuto, sendo que nas baterias de iões de lítio poderá chegar a várias horas. Recentemente, uma equipa de investigadores da Universidade Tecnológica de Nanyang, em Singapura, desenvolveu uma bateria de iões de lítio que permite recarregar até 70% um telemóvel em apenas dois minutos e tem uma durabilidade de mais de 20 anos, dez vezes mais que as baterias existentes com as mesmas características.

Os cientistas de Stanford sublinham ainda a durabilidade da sua bateria alternativa. A equipa sublinha que as baterias de alumínio criadas até aqui por outros laboratórios de investigação acabam por morrer após ciclos de 100 carregamentos. No caso do seu protótipo, o número desses ciclos foi elevado para mais de 7500 sem qualquer perda de capacidade, alegam. “Esta foi a primeira vez que uma bateria de alumínio e iões ultra-rápida se mostrou estável após milhares de ciclos”, realça a equipa.

Após a segurança e durabilidade, Hongjie Dai sublinha a flexibilidade da bateria. “Pode ser dobrada e dobrada, por isso tem o potencial para ser utilizada em aparelhos electrónicos flexíveis”, seja telemóveis ou tablets, ou outros aparelhos.