Torne-se perito

As questões de género também se dançam

O festival Gender Trouble, dedicado a representações de género e sexualidade, terá lugar entre 5 de Maio e 24 de Junho.

Foto

Passear pelas ruas de Lisboa, de mão dada com um desconhecido – seis desconhecidos, um de cada vez – durante meia hora, como se fossem um casal. E se esse desconhecido for uma lésbica de cabelo rapado? Um drag com collants de rede?

O que é que os outros vão pensar? Desafiar os preconceitos dos espectadores e colocá-los no lugar do outro é a ideia – tão simples, tão temerária – que está na génese de Walking: Holding, performance da artista britânica Rosana Cade (é ela a lésbica de cabelo rapado) que o Teatro Maria Matos vai trazer a Lisboa, nos dias 30 e 31 de Maio. Walking: Holding é um dos oito espectáculos que integram o festival Gender Trouble, dedicado a representações de género e sexualidade, que terá lugar entre 5 de Maio e 24 de Junho.

O mote – e a sustentação teórica – é o 25º aniversário de um dos livros canónicos sobre questões de identidade de género e teoria queer, Gender Trouble: Feminism And The Subversion of Identity, da americana Judith Butler, professora em Berkeley. Num ensaio que critica as teorias de Simone de Beauvoir, Foucault, Freud e Lacan, entre outros, Butler questiona a noção de género como uma categoria pré-existente, ontológica, e reposiciona-a como uma expressão identitária que se constrói, através de um conjunto de actos e gestos reiterados. Butler diz, em suma, que o género é performance.

Além de workshops e conferências (uma delas com Judith Butler, a 2 de Junho), o festival irá apresentar, entre outros espectáculos, 69 Positions, da coreógrafa dinamarquesa Mette Ingvartsen (6 e 7 de Junho), altered natives say yes to another excess – TWERK, de François Chaignaud e Cecilia Bengolea, que recria o ambiente de um clube de dança (14 de Maio), ou Striptease e Bomberos Con Grandes Mangueras , do catalão Pere Fauras, que confrontam os espectadores com a nudez em palco e o imaginário pornográfico (23 de Maio). Bilhetes à venda a partir de sexta-feira, 10 de Abril.

Sugerir correcção