Joni Mitchell continua internada mas melhora a cada dia

A cantora e compositora de 71 anos foi encontrada inconsciente em sua casa no início desta semana. O diagnóstico não é conhecido.

Não se sabe ainda o que aconteceu com a cantora
Foto
Não se sabe ainda o que aconteceu com a cantora Reuters

Pouco se sabe sobre o que aconteceu ao certo com Joni Mitchell que foi encontrada inconsciente em sua casa, em Los Angeles, na última terça-feira. Internada de emergência na unidade de cuidados intensivos de um hospital da área de Los Angeles, a cantora e compositora de 71 anos começa agora a recuperar. Numa curta mensagem deixada no seu site oficial, lê-se que Mitchell melhora e “fica mais forte a cada dia”.

O diagnóstico não foi revelado e não se sabe a que é que

Joni Mitchell,

considerada uma das mais importantes cantoras e compositoras da música popular contemporânea, está a ser tratada. A nota deixada no site da autora de Big Yellow Taxi e River refere apenas que esta continua em observação no hospital, onde “está a descansar confortavelmente”.

“Estamos animados com o seu progresso, continua a melhorar e ficar mais forte a cada dia”, lê-se ainda na nota que informa também que foi criada uma página que agrega todos os comentários que têm sido deixados a Mitchell no Facebook e no Twitter. “Para que a Joni possa ver todos os desejos de melhoras que as pessoas lhe estão a mandar.” Para aparecer nesta página, basta que na mensagem à cantora e compositora seja colocada a hashtag #WeLoveYouJoni.

Em Dezembro, numa entrevista à Billboard, a vencedora de oito Grammys revelou sofrer de uma doença rara de pele, conhecida como "síndrome de Morgellons". “É uma doença estranha e incurável que parece vir de outro planeta. Fibras de diferentes cores são expelidas pela minha pele como cogumelos depois de uma chuvada", dizia então a cantora, admitindo que continuar na música seria difícil tendo em conta a sua condição, queixando-se ainda da falta de conhecimento geral em relação à doença. “Na América, os médicos mandam-nos para um psiquiatra.”

Nascida em 1943 em Fort Macleod, no Canadá, é uma das mais influentes cantoras e compositoras da actualidade. A sua música inspirou inúmeras versões e alguns tributos, como aquele que aconteceu em 2013, em Lisboa, quando no Misty Fest Amélia Muge, Aline Frazão, Ana Bacalhau, Cati Freitas, Fábia Rebordão, Luísa Sobral, Mafalda Veiga, Manuela Azevedo, Márcia e Sara Tavares homenagearam Joni Mitchell num concerto especial – Joining Mitchell.

No ano passado, a canadiana, que entrou para o Rock and Roll Hall of Fame em 1997, editou uma caixa de quatro discos que percorrem a sua carreira, Love Has Many Faces: A Quartet, A Ballet, Waiting to Be DancedShine, de 2007, é o seu último disco de originais.