Lusotur vendida a fundo norte-americano

Promotora imobiliária de Vilamoura volta a mudar de mãos. Valor do negócio não foi revelado.

Foto

O grupo Lusort, que detém a concessão da Marina de Vilamoura, foi vendido ao fundo norte-americano Lone Star, anunciou esta quinta-feira a CBRE, que assessorou a Catalunya Caixa (detida pelo BBVA) na operação de venda. O montante do negócio concretizado na semana passada não foi divulgado, mas segundo a empresa de serviços imobiliários trata-se da “maior operação no sector do turismo em Portugal dos últimos dez anos”.

O processo de venda da Lusotur, a promotora imobiliária do resort de Vilamoura que também tem a concessão da marina, estava em marcha há vários meses e pendente de decisão do BBVA, que comprou o grupo financeiro catalão no ano passado, depois deste ter sido intervencionado pelo Estado espanhol.

A Catalunya Caixa está no capital da Lusort desde 2006, embora no início o tenha feito em parceria com o grupo imobiliário andaluz Prasa, a quem o empresário André Jordan vendeu a antiga Lusotur Imobiliária, por 360 milhões de euros. Este negócio, de 2004, também foi disputado pela Amorim Imobiliária e um consórcio liderado pelo grupo Espírito Santo (que incluía o Deutsche Bank e a espanhola Lar).

Em 2010, o grupo Prasa não resistiu aos efeitos da crise financeira e da bolha imobiliária em Espanha e entregou o controlo do empreendimento de luxo à parceira Catalunya Caixa. Mas esta instituição, que chegou a ser uma das maiores cajas de ahorros de Espanha, acabaria por ser intervencionada pelo Estado em Setembro de 2011 e depois comprada pelo BBVA, por mil milhões de euros.

Segundo a CBRE, o resort de Vilamoura, o mais antigo em Portugal, tem cerca de 2000 hectares que se desenvolvem em volta da Marina de Vilamoura (a maior de Portugal, com cerca de 825 postos de amarração) e dos seus cinco campos de golfe e tem ainda “significativa capacidade de expansão”.

“A segunda fase do projecto, designado por Vilamoura XXI, dispõe ainda de cerca de 700.000 metros quadrados de área de construção edificável, destinada à hotelaria e a projectos de turismo residencial, nos quais se inclui o projecto da Cidade Lacustre”, diz a CBRE. Este projecto foi anunciado há vários anos, mas nunca saiu do papel.