Morreu Sevinate Pinto, antigo ministro da Agricultura

Foto
Sevinate Pinto tinha 69 anos Nuno Ferreira Santos

O antigo ministro da Agricultura Armando Sevinate Pinto morreu na noite deste domingo num hospital em Lisboa, onde estava hospitalizado, confirmou o presidente da Confederação de Agricultores Portugueses (CAP), João Machado.

Sevinate Pinto, de 69 anos, "tinha sido hospitalizado há dois ou três dias e infelizmente não resistiu", afirmou João Machado, confirmando uma notícia que foi avançada pela Rádio Renascença, citando fonte familiar.

Armando José Cordeiro Sevinate Pinto nasceu em Ferreira do Alentejo a 1 de Janeiro de 1946, era casado e tinha dois filhos.

Licenciado em Engenharia Agrónoma pelo Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa, Sevinate Pinto foi ministro da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas do XV Governo Constitucional PSD/CDS-PP, dirigido por Durão Barroso, entre 6 de Abril de 2002 a 17 de Julho de 2004.

Elogios do CDS
A ministra das Agricultura e do Mar, Assunção Cristas, lamenta a morte de Sevinate Pinto, recordando que o sector agrícola perdeu "um profundo apaixonado pela terra". "É uma grande perda para todos nós, para o sector agrícola e para o sector agroalimentar, que muito devem ao dinamismo, ao empenho e à lucidez [de Sevinate Pinto], quer enquanto ministro, quer como consultor e como um profundo apaixonado pela terra", declara.

Assunção Cristas disse ainda que se sente "muito grata por todos os ensinamentos" que recebeu do antigo ministro da Agricultura do Governo de Durão Barroso. "Quem me deu a minha primeira lição de agricultura e de política agrícola foi o engenheiro Sevinate Pinto mal soube das minhas funções e foi sempre, durante estes anos, uma presença muito amiga e muito constante. Pessoalmente, sinto muito esta perda", acrescenta.O presidente do CDS Paulo Portas lamentou hoje a morte do antigo ministro da Agricultura Sevinate Pinto, que considerava ser "um criador de políticas agrícolas notável e persistente", recordando o seu "legado de conhecimento (...) verdadeiramente único".

Por seu lado, o vice-primeiro-ministro Paulo Portas refere que Sevinate Pinto "era um ser humano excepcional e um criador de políticas agrícolas notável e persistente. No Governo e nas instituições, na universidade e nas empresas, deu o melhor de si mesmo e deixou um legado de conhecimento, saber pensar e saber fazer agricultura em Portugal verdadeiramente único e que deve ser continuado".

O antigo governante "acreditava num mundo rural forte e num país agrícola competitivo" e "batia-se pelo interesse nacional, tanto em Lisboa como em Bruxelas, com patriotismo e razão", escreve Portas. "Muito do que sei e defendo em matéria de agricultura devo ao conselho amigo e inteligente de Armando Sevinate Pinto."

PSD: "Um português ilustre e um cidadão exemplar"

O PSD lamentou hoje a morte do antigo ministro da Agricultura Sevinate Pinto, "um português ilustre" que "deu muito de si ao país" e que "sempre pôs o seu profundo conhecimento ao serviço" de Portugal.

"É com profundo pesar que o PSD tomou conhecimento da morte do engenheiro Sevinate Pinto", disse hoje em declarações à Lusa o vice-presidente do PSD José Matos Correia, acrescentando que o antigo ministro, que morreu esta noite num hospital em Lisboa, era "um português ilustre e um cidadão exemplar", que "pôs sempre o seu profundo conhecimento sobre agricultura ao serviço do país".

Dirigindo "sinceras condolências" à família de Sevinate Pinto, José Matos Correia lamentou esta "perda muito grande para Portugal".

O funeral do antigo ministro da Agricultura realiza-se na segunda-feira em Cascais, de acordo com informação da agência funerária. O corpo de Sevinate Pinto vai estar em câmara ardente a partir das 18h30 de hoje na igreja da Ressurreição em Cascais e as cerimónias religiosas vão ter início às 14h00 de segunda-feira já na Igreja Paroquial de Cascais, seguindo o cortejo para o cemitério da Guia, na mesma vila.