Dolce & Gabbana criticam procriação assistida e enfrentam a ira de Elton John e Madonna

A entrevista a uma revista italiana, em que classificaram as crianças nascidas por inseminação artificial como "crianças sintéticas", levou Elton John a apelar ao boicote dos designers de moda

Stefano Gabbana e Domenico Dolce, que formaram um casal durante duas décadas, manifestaram-se contra a adopção por casais homossexuais: "A única família é a tradicional"
Foto
Stefano Gabbana e Domenico Dolce, que formaram um casal durante duas décadas, manifestaram-se contra a adopção por casais homossexuais: "A única família é a tradicional" OLIVIER MORIN/AFP

Tudo começou com a entrevista da dupla Stefano Gabbana e Domenico Dolce à revista italiana Panorama, publicada a 16 de Março, onde defenderam aquilo que consideram ser a família tradicional, mostraram a sua oposição à adopção por casais homossexuais e definiram as crianças nascidas por inseminação artificial como “filhos da química, crianças sintéticas”. A reacção não se fez esperar. Elton John pediu um boicote à marca italiana. Madonna pediu aos estilistas que “pensem” antes de falar”.

“Não à prole química e aos úteros alugados: a vida tem um ritmo natural, há coisas que não devem ser alteradas”. Foram frases como esta, proferida por Domenico Dolce, que provocaram um sobressalto online. Após a publicação da entrevista os designers de moda, que formaram um casal durante mais de duas décadas, tiveram resposta via Instagram.

Foi Elton John, pai com David Furnish de dois filhos gerados por fertilização in vitro, a primeira celebridade a reagir. “Como se atrevem a referir-se aos meus bonitos filhos como sintéticos?”, escreveu na rede social. “Deviam ter vergonha de apontar os vossos pequenos dedos preconceituosos à fertilização in vitro, um milagre que permitiu a numerosas pessoas dedicadas, tanto heterossexuais como gay, cumprir o seu sonho de ter filhos”. Elton John afirmou então que não mais usaria roupa da marca e apelou ao seu boicote. Foi apoiado por nomes como a ex-tenista Martina Navratilova, ou os cantores Ricky Martin e Courtney Love.

Em resposta, Stefano Gabbana e Domenico Dolce pediram o “boicote de Elton John” e defenderam a sua posição, afirmando em comunicado nunca ter sido sua intenção “julgar as decisões de outras pessoas”: “Acreditamos na liberdade e no amor”, escreveram, acrescentando acreditar "convictamente" na "democracia e no princípio fundamental da liberdade de expressão”. Já antes Stefano Gabbana tinha acusado Elton John, em declarações ao Corriere della Sera, de ter uma “visão autoritária” da realidade. “Não estava à espera disto, vindo de alguém que considerava, e acentuo ‘considerava’, uma pessoa inteligente. Quer dizer, pregas a compreensão e tolerância e depois atacas os outros?”, questionou. “É uma visão autoritária do mundo. Concordem comigo ou, caso contrário, atacar-vos-ei”.

Madonna juntou-se sexta-feira às vozes críticas dos estilistas italianos. Sob uma foto sua com um bebé, retirada de uma sessão para a Dolce & Gabbana, escreveu na sua conta de Instagram: “Todos os bebés têm uma alma, independentemente da forma como chegaram a esta Terra. Não há nada de sintético numa alma”.