HarperCollins Ibérica entra no mercado espanhol e português

Actuarão em Portugal a partir de Espanha, mas terão um editor encarregado do mercado português.

Foto
O CEO da HarperCollins,Brian Murray na Feira do Livro de Frankfurt em Outubro de 2014 Frankfurt Book Fair

A HarperCollins, o segundo maior grupo editorial do mundo, com operações em 18 países, anunciou esta segunda-feira em comunicado a criação da HarperCollins Español e da HarperCollins Ibérica. Se bem que a prioridade seja a língua espanhola, não descurarão o mercado de língua portuguesa na Península Ibérica. Actuarão em Portugal a partir de Espanha, mas terão um editor encarregado do mercado português.

Os livros que serão publicados quer em Espanha quer em Portugal incluirão obras de “autores regionais bem como de autores globais da HarperCollins, como o escritor norte-americano Daniel Silva”, lê-se no comunicado. Até agora, Daniel Silva (cujos livros são best-sellers) tem sido publicado em Portugal pela Bertrand, do grupo Porto Editora.

A HarperCollins Español será dirigida por Larry Downs, vice-presidente sénior e editor que publicará cerca de 50 títulos em língua espanhola no continente americano. E a HarperCollins Ibérica será dirigida por Luis Pugni, director-geral, que actuará para a Península Ibérica a partir de Espanha, e que publicará uma lista de aproximadamente 30 títulos em Espanha e Portugal.

Em Espanha já se sabe que irão publicar o próximo livro de Harper Lee, Go Set a Watchman, com o título Ve y pon un centinela mas não o farão em Portugal. Embora o livro já tenha sido adquirido para Portugal, Erin Crum, da HarperCollins, disse ao PÚBLICO que não detêm  os direitos para língua portuguesa. American Sniper, de Chris Kyle, One Minute Manager, de  Ken Blanchard, The Pursuit of Happyness, de Chris Gardner, Journey Hom, de Jorge Posada, Business Brilliant, de Lewis Schiff, e Prayer is Good Medicine, de Larry Dossey, serão alguns dos livros que virão a ser publicados em língua espanhola pela HarperCollins Español.

Na última Feira do Livro de Frankfurt, em Outubro do ano passado, o grupo HarperCollins já tinha anunciado os seus planos de expansão para mercados de língua estrangeira, explicando que a compra da Harlequin – que vende livros em mais de 100 países – , fazia parte dessa estratégia.  E tal como lembra agora Luis Pugni, citado no comunicado da HarperCollins, a Harlequin Ibérica  existe há mais de 30 anos nos mercados espanhol e português.

Para Brian Murray, o CEO da HarperCollins Publishers, este era o passo que faltava dar para a evolução do programa editorial para as línguas estrangeiras deste grande grupo. “Há uma tremenda oportunidade no mercado espanhol de todo o mundo. Mediante o uso das equipas e de estruturas já existentes [nestes países] estamos a conseguir as condições necessárias para começarmos a executar os nossos planos de ampliação e maior alcance dos nossos autores.”
 
Depois da Penguin Random House ter entrado no ano passado em Portugal através da compra das edições gerais da Santillana, é agora a vez da HarperCollins.