Ípsilon

Entrevista

“Num continente como África, a arte é necessariamente política”

O coleccionador congolês de arte contemporânea Sindika Dokolo, que esteve no Porto para inaugurar a exposição You Love Me, You Love Me Not, pede aos artistas africanos que critiquem e “mexam onde dói”, mas sem assumirem a perspectiva dos que olham para África de fora.