No café Agueiros, em Felgueiras, a pergunta é "quem ganhou o Euromilhões?"

Ao único totalista bastou uma aposta de dez euros para acertar em cheio no jackpot de 100 milhões. Prémio ainda não foi reclamado.

46 portugueses já acertaram na chave completa do Euromilhões
Foto
Nem primeiro, nem segundo, nem terceiro prémios em Portugal Enric Vives-Rubio

Quem ganhou o Euromilhões? Joaquim Leite, proprietário do café Agueiros, em Margaride, no concelho de Felgueiras, diz que já se vão ouvindo rumores. Mas na verdade o apostador euromilionário ainda não apareceu. Certo é que este é o grande tema das conversas no Agueiros nesta tarde de sábado. Junto ao café onde foi vendido o bilhete, a Santa Casa da Misericórdia organizou uma festa à espera do "novo excêntrico".

Quem acertou na chave completa do Euromilhões desta sexta-feira tem direito a receber um prémio de 100 milhões de euros — na verdade, cerca de 80 milhões. Os restantes 20 milhões entram directamente nos cofres do Estado, que passou a aplicar um imposto de selo de 20% nos prémios dos jogos sociais superiores ou iguais a cinco mil euros. Ao único totalista bastou uma aposta de dez euros, correspondentes a cinco apostas simples, para acertar em cheio no jackpot milionário.

No café, o movimento é maior do que o habitual numa tarde de sábado, conta Joaquim Leite. “Até já apareceu um senhor de Gaia que viu as notícias, estava a passar por aqui e decidiu parar.” Aproveitou para jogar.

Junto ao café estavam neste sábado quatro cheerleaders de mini-saia a abanar os seus pompons brancos ao som de uma ruidosa banda trajada de vermelho berrante, junto a uma longa e reluzente limusina branca. Num colorido cartaz lia-se “Mais um milionário português!100 milhões. Foi aqui!”.

A “festa” no local foi organizada pelo Departamento de Jogos da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML) para acolher “o novo excêntrico”, reportava este sábado a SIC Notícias. Ao lado do aglomerado, Anabela Sanches, membro da comissão executiva do Departamento de Jogos da Santa Casa, respondia à jornalista que “é comum não serem logo contactados pelos premiados”. Por um lado, o afortunado pode ainda não se ter apercebido da sua sorte; por outro, “pode estar a ponderar e a meditar a sua nova condição”, tendo também em conta “o grande impacto mediático” quando a sua identidade for revelada.

A notícia chegou através de um comunicado do Departamento de Jogos de sexta-feira à noite: “Depois do prémio máximo de 190 milhões de euros, atribuído em Outubro de 2014 a um afortunado apostador de Castelo Branco, o Euromilhões volta agora a contemplar mais um português, desta vez com 100 milhões de euros.”

Desde o seu lançamento, em 2004, o Euromilhões já contemplou 55 apostadores com o primeiro prémio em Portugal, acrescenta a Santa Casa, adiantando que o sorteio de sexta-feira gerou “uma receita bruta na ordem dos 14,6 milhões de euros, correspondente a 7,3 milhões de apostas efectuadas”.

Até à data, e com o novo primeiro prémio atribuído a uma aposta registada em Portugal, o Euromilhões “já contabiliza um total de primeiros prémios atribuídos a apostadores portugueses no valor de 1.423.664.242,11 euros”, conclui o Departamento de Jogos da SCML.

O segundo prémio do sorteio desta sexta-feira vai ser distribuído por nove apostadores, todos de fora de Portugal, que vão arrecadar cada um cerca de 315.070 euros.

Com o terceiro prémio foram apurados dez apostadores, um dos quais com as apostas registadas em Portugal, e que vão receber um prémio individual de 94.521 euros.

O quarto prémio vai ser repartido por 83 apostadores, sete dos quais em Portugal, cabendo a cada um 5694 euros.