Novo PDM de Famalicão vai aumentar áreas verdes urbanas de 88 para 200 hectares

Rio Pelhe vai ser renaturalizado na área urbana da cidade e prevê-se nova zona industrial junto do nó da A7.

Câmara pretende mais do que duplicar as áreas verdes em zonas urbanas
Foto
Câmara pretende mais do que duplicar as áreas verdes em zonas urbanas Paulo Ricca

O aumento de 88 para 200 hectares das áreas verdes urbanas é uma das linhas de força do novo PDM de Famalicão, que vai estar em discussão pública de 23 de Fevereiro a 6 de Abril, foi esta quarta-feira anunciado.

Segundo um comunicado da Câmara de Famalicão, o novo Plano Diretor Municipal (PDM) preconiza ainda a renaturalização do Rio Pelhe em todo o seu percurso urbano, prolongando-se para a cidade a valorização conseguida no percurso que atravessa o Parque da Devesa.

Em cima da mesa está a substituição do leito de cimento, colocado há algumas décadas no percurso citadino mais central do rio, por uma zona ribeirinha natural com percursos pedestres e clicáveis, que vão interligar os parques e jardins da cidade.

De acordo com o mesmo comunicado, o PDM prevê o forte aumento da mancha verde urbana nas vilas do concelho (Joane, Ribeirão e Riba de Ave), "reflexo da valorização que o documento dá aos recursos naturais, tidos como alavanca do desenvolvimento sustentável e sinónimo de qualidade de vida".

O PDM preconiza ainda o aumento "também significativo" da área empresarial, prevendo-se, entre outras, a criação de uma nova zona industrial no nó de Seide junto à A7, auto-estrada que liga o litoral norte ao interior do país, com ligação à A3 (Porto-Valença) precisamente em Vila Nova de Famalicão.

"Trata-se de assegurar uma estruturação do solo equilibrada mas competitiva", diz o presidente da Câmara, Paulo Cunha, citado no comunicado.

Novidade no novo PDM de Famalicão é também a criação de Zonas de Reabilitação Urbana nos núcleos centrais da cidade e vilas do concelho e em zonas de freguesias com declarado interesse patrimonial e cultural. "Esta nova classificação reveste-se de particular importância porquanto vai permitir o acesso dos proprietários a incentivos fiscais para a reabilitação de imóveis", assinala o comunicado.

Durante o período de discussão pública, haverá um posto de atendimento personalizado permanente nos Paços do Concelho, que será complementado com atendimento personalizado temporário em cinco freguesias, debates, exposições e apresentações à população.