Kraftwerk, pioneiros da música electrónica, trazem a Portugal dois concertos 3D

Os alemães actuam no Coliseu de Lisboa a 19 de Abril e na Casa da Música no dia a seguir.

Em comunicado, a Everything is New fala de um “arrojado espectáculo 3D”
Fotogaleria
Em comunicado, a Everything is New fala de um “arrojado espectáculo 3D” Reuters
Fotogaleria
Concerto em Montreux, na Suíça Denis Balibouse/Reuters
Fotogaleria
Um espectador com óculos 3D Luke MacGregor/Reuters
Fotogaleria
Concerto em Londres Luke MacGregor/Reuters
Fotogaleria
A audiência com óculos Luke MacGregor/Reuters
Fotogaleria
Concerto em Londres Luke MacGregor/Reuters

Os Kraftwerk, pioneiros da música electrónica, vão voltar aos palcos com uma série de concertos especiais em 3D. Portugal está na lista dos alemães com dois espectáculos: no Coliseu de Lisboa a 19 de Abril e na Casa da Música, no Porto, a 20 de Abril. Os bilhetes estão à venda a partir desta terça-feira, anunciou nesta segunda-feira a Everything is New.

O quarteto alemão, fundado nos anos 1970, alcançou a fama através do uso inovador de computadores na produção musical. A maior parte da música que é feita hoje tem uma base electrónica, inúmeros músicos deixaram-se contagiar pelo seu imaginário (David Bowie, Daft Punk, Kanye West) e canções como Radio-activityAutobahn ou Trans-Europe Express são icónicas.

O espectáculo que em Abril trazem a Portugal terá influência daquilo que os Kraftwerk – Ralf Hütter, Fritz Hilpert, Henning Schmitz, Falk Grieffenhagen – começaram por apresentar no MoMA (o Museu de Arte Moderna de Nova Iorque) que em 2012 dedicou à banda uma retrospectiva. Seguiram-se apresentações de The Catalogue – 1 2 3 4 5 6 7 8 9 em museus tão prestigiados como o Kunstsammlung Nordrhein-westfalen de Dusseldórfia ou a Tate Modern, em Londres, ou salas como o Akasaka Blitz, em Toquio, a Opera House, em Sidney, o Walt Disney Concert Hall, em Los Angeles, a Neue Nationalgalerie, em Berlim, e a Louis Vuitton Fondation, em Paris.

Em comunicado, a Everything is New fala de um “arrojado espectáculo 3D”. Quem conhece os Kraftwerk sabe que a sua actividade musical é indissociável da imagem, do som, da luz, de fantasia, dos mais diversos conceitos. Só assim se percebe que nos últimos anos a sua música se tenha estendido à arte visual contemporânea, como uma expressão de um mundo dominado por máquinas e computadores.

Em 2004, os Kraftwerk, que da sua formação fez parte o português Fernando Abrantes em 1991, actuaram pela primeira vez em Portugal, no Coliseu de Lisboa, e depois no Festival Sudoeste.

Os bilhetes para os concertos de Portugal estão à venda a partir desta terça-feira, às 10h, nos locais habituais e enquanto em Lisboa o preço varia entre os 35 e os 42 euros, para a Casa da Música os bilhetes têm o preço único de 65 euros. A compra de entradas é limitada a 4 por pessoa.