Protesto de bolseiros marcado para quinta-feira à frente da FCT

Associação pede a quem tenha ficado excluído do concurso de bolsas individuais para levar os documentos que comprovem que a sua candidatura era válida.

A manifestação de há um ano juntou várias centenas de pessoas
Foto
A manifestação de há um ano juntou várias centenas de pessoas Daniel Rocha (arquivo)

A Associação dos Bolseiros de Investigação Científica (ABIC) anunciou nesta quarta-feira um protesto para quinta-feira, dia 5 de Fevereiro, às 14h, à frente da sede da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), em Lisboa. O protesto surge em reacção aos resultados do concurso de bolsas individuais de doutoramento e pós-doutoramento e ao modo como esta avaliação foi conduzida.

Segundo a ABIC, os resultados do concurso deixaram de fora “4000 candidatos”. Além disso, a associação denuncia a existência de “múltiplos casos de processos de avaliação pouco claros, com exclusão de candidatos à margem das normas”, lê-se no comunicado.

No concurso das bolsas individuais de 2014, divulgado a 22 de Janeiro de 2015, foram atribuídas 403 bolsas individuais de doutoramento e 465 bolsas individuais de pós-doutoramento. Vários candidatos queixaram-se à ABIC de terem sido excluídos do processo sem motivos justificados. A associação pede a todos os candidatos que ficaram excluídos da avaliação que levem os documentos que comprovem a validade da sua candidatura.

Há cerca de um ano, uma manifestação convocada pela ABIC em Lisboa reuniu várias centenas de bolseiros, investigadores e professores que marcharam contra o grande corte nas bolsas individuais por parte da FCT.

No concurso de bolsas individuais de 2013 – cujo resultado foi conhecido em Janeiro de 2014 – foram inicialmente atribuídas apenas 298 bolsas de doutoramento. Mesmo tendo em conta as bolsas dos novos programas doutorais da FCT dadas em 2013 (431 bolsas), houve uma descida de quase 40% de bolsas de doutoramento em relação a 2012. Nas bolsas de pós-doutoramento, apenas 233 cientistas obtiveram as bolsas, o que representou uma diminuição de 65% em relação a 2012.

Esses cortes desencadearam muitas críticas e uma manifestação. A FCT acabou depois por atribuir mais algumas bolsas individuais de doutoramento e pós-doutoramento.