Javier Aguirre demitido da selecção japonesa de futebol por suspeitas de corrupção

Foto
Javier Aguirre está a ser investigado em Espanha THEO KARANIKOS /AFP

A Federação Japonesa de Futebol anunciou nesta terça-feira que demitiu o seleccionador da equipa nipónica, o mexicano Javier Aguirre, envolvido em suspeitas de manipulação de resultados em Espanha.

“Queremos evitar o risco que este caso [de suspeitas de corrupção] afecte a nossa qualificação para o próximo Mundial. Por isso, decidimos rescindir contrato com o treinador [Javier] Aguirre”, explicou o presidente da federação japonesa, Kuniya Daini, em conferência de imprensa.

O departamento anti-corrupção da procuradoria de Madrid abriu um processo de investigação a Javier Aguirre e a outros 40 suspeitos por alegada implicação na combinação do resultado do jogo entre Saragoça e Levante (2-1), disputado em Maio de 2011.

O triunfo sobre o Levante permitiu ao Saragoça, na altura treinado por Aguirre, manter-se no primeiro escalão espanhol.

Aguirre, que será ouvido em Valência já este mês, tinha assumido o comando técnico da selecção japonesa no último Verão, substituindo o italiano Alberto Zaccheroni, que tinha apresentado a demissão após o Mundial 2014, no Brasil.

Na prova ganha pela Alemanha, o Japão terminou a primeira fase no último lugar do Grupo C, com apenas um ponto em três jogos.

Na última Taça da Ásia, na qual se sagrou campeã a anfitriã Austrália, o Japão foi eliminado nos quartos-de-final pelos Emirados Árabes Unidos.