O futuro imediato de Durão é com os estudantes da Católica e de Princeton

Enquanto resiste a assumir o interesse na corrida às Presidenciais, o ex-presidente da Comissão Europeia voltará a dar aulas no ensino superior.

Durão Barroso é criticado por rejeitar propostas que ajudariam os países com o argumento de que "as regras não o permitem"
Foto
Durão está de volta à universidade AFP/GEORGES GOBET

A pausa na vida política de José Manuel Durão Barroso vai significar um regresso às universidades. O ex-presidente da Comissão Europeia foi contratado para dar aulas em duas instituições de ensino superior privadas, a Universidade Católica, em Lisboa, e a norte-americana Universidade de Princeton, onde será professor visitante. Em ambos os casos, vai estar ligados a cursos nas áreas do Direito, Gestão e Relações Internacionais.

A Católica anunciou, esta segunda-feira, a contratação do antigo primeiro-ministro com efeitos imediatos. Durão Barroso vai leccionar em três escolas daquela instituição: o Instituto de Estudos Políticos, e as duas escolas internacionais da universidade, a Global School of Law (Direito) e a Lisbon School of Business and Economics (Negócios).

Em comunicado, a instituição associa esta contratação à sua “estratégia de internacionalização e de captação de estudantes estrangeiros”.

O regresso de Durão Barroso às universidades portuguesas será assinalado no dia 26 de Fevereiro, com a palestra inaugural no campus de Lisboa da Universidade Católica, sobre “União Europeia e Lusofonia”.

Depois de dez anos à frente da Comissão Europeia, – cargo que aceitou quando era primeiro-ministro, o que o levou a renunciar à chefia do Governo –, Durão Barroso abandonou Bruxelas no final do ano passado. O seu nome tem sido apontado como candidato apoiado pelo PSD às próximas eleições presidenciais, que acontecem dentro de sensivelmente um ano, apesar de o próprio evitar comprometer-se.

Este regresso às lides universitárias não é inédito na vida do antigo primeiro-ministro. Depois de sair do governo de Cavaco Silva, onde foi ministro dos Negócios Estrangeiros, tinha ingressado na Universidade Lusíada para dirigir o Departamento de Relações Internacionais.

O futuro próximo de Durão passa também pelos EUA, como professor convidado da Universidade de Princeton, onde vai integrar a Woodrow Wilson School of Public and International Affairs e será policy fellow do Liechtenstein Institute on Self-Determination (LISD), representando a instituição nas relações internacionais com a União Europeia, os Estados Unidos, a Rússia e a China.