DR
Foto
DR

“Valores do râguebi” unem CDUP e Transdev

“Universitários” do Porto e transportadora assinaram uma parceira válida para próximas duas épocas e meia

O CDUP e a Transdev, segundo maior operador rodoviário de passageiros em Portugal, assinaram um novo protocolo de cooperação que será válido até ao final da presente época e as duas seguintes. José Paulo Seruca, presidente dos “universitários”, reconhece que este “será um apoio da maior importância para o desenvolvimento” do clube da cidade do Porto.

O acordo estabelecido entre o CDUP e a Transdev prevê que a empresa de transportes de passageiros forneça deslocações para todos os escalões dos portuenses com um desconto significativo. Em troca, os “universitários” comprometem-se a utilizar o logótipo da Transdev no seu equipamento oficial, bem como em toda a publicidade e comunicação.

José Paulo Seruca lembra que “o CDUP é seguramente o clube português com mais deslocações nacionais e o que percorre mais quilómetros anualmente”, pelo que este “será um apoio da maior importância para o desenvolvimento” da equipa portuense.

PÚBLICO -
Foto

O presidente dos “universitários” enaltece ainda a postura dos responsáveis pela transportadora: “Encontramos nos responsáveis da Transdev interlocutores que entenderam a importância da nossa acção na formação dos jovens e também reconhecem a grandeza dos valores do râguebi”.

PÚBLICO -
Foto

De origem francesa, a Transdev tem como CEO em Portugal Pierre Jaffard, natural de Toulouse, uma cidade com forte tradição em râguebi, e Ricardo Afonso, administrador da empresa, sublinha que esta é também “uma aposta da Transdev enquanto empresa socialmente responsável”.

“O CDUP Rugby não se limita apenas a preparar a forma física e técnica dos atletas, desempenhando também um papel de enorme importância na sua formação escolar, cívica, intelectual e cultural, constituindo um pilar fundamental principalmente junto da juventude”, destaca Ricardo Afonso.

“É com orgulho que vejo o nome da Transdev associado a tão nobre prática e penso que é nossa obrigação, enquanto empresas e parte integrante da sociedade, apoiarmos este tipo de iniciativa”, conclui o administrador do operador rodoviário de passageiros.