A Brigada Victor Jara faz 40 anos e vamos redescobri-la

O grupo de música popular portuguesa edita em Março a integral da discografia, Ó Brigada. Este mês começou uma campanha de angariação de fundos para ajudar a custear o lançamento.

Foto
A Brigada Victor Jara quando da edição de Ceia Louca, em 2006 DR

Banda de relevo na reinvenção da música popular portuguesa, a Brigada Victor Jara editará Ó Brigada no final de Março. A caixa incluirá a dezena de álbuns de estúdio que lhe compõe a discografia, vários deles já descatalogados, a que se junta um livro onde se conta a história do grupo e onde encontraremos depoimentos de nomes como Manuel Freire, Carlos do Carmo, Vitorino, Janita Salomé, Zeca Medeiros ou Armando Carvalheda, dando conta da sua relação com a actividade do grupo.

Alguns fãs poderão aceder à edição antes do lançamento comercial em Março. De forma a financiar parte dos custos de produção da caixa comemorativa, a Brigada iniciou a 21 de Janeiro uma campanha de recolha de fundos online (acessível em http://ppl.com.pt/pt/prj/brigada-vitor-jara-40-anos). Cada contribuição dará direito a diversos brindes. Assim, 10€ resultam num CD e num poster autografado; 40€ à caixa “Ó Brigada”, ao nome do apoiante inscrito na edição, a uma garrafa de Vinho do Porto e a um poster autografado; 250€, por sua vez, multiplicarão por cinco a oferta e incluirão ainda um almoço ou jantar com os membros da banda.

Mais relevante que tudo o resto, porém, é a certeza de que álbuns como Eito Fora, o primeiro, Marcha dos Foliões ou Contraluz voltarão para contar a história de um grupo de músicos (já passaram 40 pela Brigada desde a sua fundação) que partiu à descoberta dos sons, danças e palavras que o país guardava à espera de serem redescobertos, reinterpretados e recontextualizados.

Para assinalar as quatro décadas de história, a Brigada planeia ainda uma digressão a cumprir Portugal fora. No final do ano, para encerrar as festividades, será editada uma fotobiografia.