Hospital Privado de Gaia abre hoje após investimento de 50 milhões de euros

Projecto do Grupo Trofa Saúde conta com 100 camas e quer chegar às 3000 cirurgias e 150 consultas no primeiro ano de actividade.

A unidade quer dar resposta às carências do município
Foto
A unidade quer dar resposta às carências do município DR

A partir desta segunda-feira a zona norte do país conta com mais uma unidade privada de saúde, com a inauguração do Hospital Privado de Gaia, do Grupo Trofa Saúde. O mais recente projecto do quarto maior grupo de saúde em Portugal representa um investimento de 50 milhões de euros nas instalações que vão disponibilizar “serviços de ambulatório/consultas, com 43 especialidades disponíveis em horário alargado, bloco operatório, internamento, cuidados intermédios e intensivos, bloco de partos e análises clínicas”. “Por muito que as pessoas não queiram dizer, a saúde é um mercado apetecível e situámo-nos naturalmente num sítio onde há necessidades, com uma cobertura privada ainda insuficiente e com um Serviço Nacional de Saúde deficitário”, resumiu ao PÚBLICO o administrador do grupo, Artur Osório.

Nesta fase inicial, o Hospital Privado de Gaia arranca com um total de 100 camas, 73 consultórios e 35 salas de exames e tratamentos, mas a ideia é expandir esta oferta, agora distribuída por 11 pisos localizados no Lugar da Barrosa, uma zona central de Gaia. Segundo Artur Osório, “o projecto vem dar resposta à crescente procura de serviços de saúde privada na zona a sul do Porto, nomeadamente Gaia, Espinho, Arouca, Ovar, São João da Madeira e Aveiro Norte”. Além das especialidades médicas, a unidade disponibiliza outros serviços como “acupunctura, nutrição, osteopatia, podologia, psicologia, psicologia da infância e da adolescência, terapia da fala”. Se tudo correr bem, a ideia é fazer 3000 cirurgias e 150 mil consultas no primeiro ano.

O grupo Trofa, com 15 anos de existência, facturou um total de 90 milhões de euros em 2013 e as contas não fechadas de 2014 apontam para os 100 milhões. A ideia é chegar ao final do ano com um aumento para 110 ou 120 milhões, adiantou Artur Osório, lembrando as outras unidades no norte do país com que contam: Hospital Privado da Trofa, Hospital Privado da Boa Nova, Hospital Privado de Alfena, Hospital Privado de Braga, Hospital de Dia de Famalicão, Hospital de Dia da Maia e Instituto de Radiologia Dr. Pinto Leite. Ao todo, com a inauguração de Gaia, somam mais de 500 camas. Apesar das 100 camas agora abertas, a unidade de maior dimensão continuará a ser o Hospital Privado da Trofa, com 112 camas. O futuro passa por uma expensão para Lisboa e “para países de expressão portuguesa”.