A nova cadeira delirante dos GNR

Assente nas relações sempre delirantes das letras de Rui Reininho, os GNR preparam novo álbum (o 12º) e, como é agora norma, para lançar uma primeira amostra tem de haver um videoclipe. Porque este reina nesta era da comunicação nómada e digitalizada. Desafio provável para os que evoluíram com outros padrões e métodos comunicativos: e agora, como nos apresentamos ao público? Como nos ajustamos aos seus hábitos sociais digitais? Com a velha imagem de músicos ou com novas propostas visuais? Tarefa entregue a alguém mais do que tarimbado na matéria, o André Tentugal, que concebeu para este “Cadeira Elétrica” um imaginário tão mirabolante e surreal a quanto se pode prestar a singularíssima lírica de Reininho. Afinal, não havendo formulas mágicas, excluindo, lá está, a dessa nova cadeira da letra, a típica pop dos GNR tem aí uma via para explorar visualmente, que se adequa à partilha do atípico pelos públicos digitais.

 

Desafio ao público: conseguem descobrir onde o realizador aparece neste videoclipe? We Trust that you can!

 

Texto escrito segundo o novo Acordo Ortográfico, a pedido do autor.

Sugerir correcção