Furto de gado volta a deixar agricultores do Baixo Vouga em alerta

Só um produtor perdeu quatro bezerros numa noite. Associação da Lavoura do Distrito de Aveiro exige medidas por parte do Ministério da Agricultura.

Foto
Luís Efigénio/Arquivo

Para alguns agricultores da zona do Baixo Vouga esta época festiva está a ter um sabor amargo. Na noite de sexta-feira para sábado, registaram-se novos casos de furtos de gado nesta zona agrícola da região de Aveiro. A situação já não é nova e, segundo Albino Silva, presidente da Associação da Lavoura do Distrito de Aveiro (ALDA), tem vindo a causar prejuízos avultados aos agricultores. A ALDA prepara-se para voltar a denunciar a situação junto do Ministério da Agricultura e lembrar que “é tempo de o Governo resolver os problemas do Vouga".

“É lamentável, mas voltou a acontecer e já não foi a primeira vez, este ano, que os agricultores viram o seu gado seu furtado”, protestou o responsável máximo da ALDA, depois de os ladrões de gado terem voltado, este fim-de-semana, aos campos agrícolas de Estarreja. Ainda sem números exactos, Albino Silva refere que terão sido “vários” os produtores afectados. Só um agricultor viu desparecerem do seu terreno quatro bezerros. “São centenas de euros de prejuízo, sem que haja a possibilidade de os animais estarem cobertos por seguros”, garante o presidente da associação de agricultores, ao mesmo tempo que assegura que a GNR já está a par da situação e a investigar.

Ainda há um ano, as autoridades policiais procederam à detenção de um comerciante, residente em Oliveira do Bairro – também na região de Aveiro -, por suspeitas de envolvimento em furto de gado bovino. O homem guardava, no estábulo da sua residência, uma vaca da raça autóctone Marinhoa que tinha sido furtada dos campos em Salreu (Baixo Vouga).

Perante esta ameaça de uma nova onda de furtos de gado – em 2011 e em 2013, o número de animais furtados nesta zona agrícola chegou às quatro dezenas -, o presidente da ALDA prepara-se para voltar a lembrar à tutela que urge resolver os problemas do Baixo Vouga, que abrange os concelhos de Albergaria-a-Velha, Aveiro e Estarreja. “O emparcelamento dos terrenos agrícolas ajudaria a resolver estes problemas de segurança”, defende Albino Silva.