Fotogaleria
Fotogaleria
DR

A "Locomotiva": a estação de São Bento como destino cultural

O programa deste sábado começa pelas 15h00 com "Stop.Live", uma iniciativa para dinamização de uma nova praça num dos lados da estação de São Bento

O projecto "Locomotiva" para revitalização do espaço envolvente à emblemática estação de São Bento, no Porto, arranca este sábado com iniciativas que pretendem tornar aquele num lugar de paragem e de destino cultural. A fim de potenciar novas dinâmicas e negócios naquela área, a Câmara do Porto, através da empresa municipal Porto Lazer e em parceria com a Rede Ferroviária Nacional (Refer), lançou o projeto que dura seis meses, terminando em Junho de 2015.

O programa deste sábado começa pelas 15h00 com "Stop.Live", uma iniciativa para dinamização de uma nova praça num dos lados da estação de São Bento, onde os visitantes poderão encontrar um conjunto de oportunidades e estratégias de "design" para adaptação às condições climatéricas.

Entre as 17h00 e as 18h00 é a vez da apresentação do projecto "Museu em Movimento e dos seus Roteiros", com o Museu de Marionetas do Porto a expor a sua "Cinderela" e os "objectos e elementos cenográficos que tornaram inesquecível esta peça, estreada em 2009", refere comunicado da Câmara do Porto.

Às 18h30, o projecto muda-se para o outro lado da estação para assistir ao lançamento da instalação "Metamorfose" da equipa criativa FAHR 021.3 que, com malha metálica desenvolvida digitalmente, dará até 17 de Janeiro uma "nova textura e leitura" à ruína da Avenida da Ponte, "acrescentando-lhe irregularidade e ampliando, paradoxalmente, a sua visibilidade, através de uma nova provocação".

Ao mesmo tempo, e para assinalar o início da instalação, a companhia Erva Daninha mostra o seu "Fio Primo" com três malabaristas dirigidos por Gilberto Oliveira a levarem à rua o circo contemporâneo com música, coreografia, malares e "até tijolos".

Enquanto a dupla FAHR 021.3 transforma a avenida, a companhia teatral Erva Daninha cria um "ambiente industrial assombrado pelos fortes ruídos das máquinas, pelo ar opaco envolto de uma névoa de pó" para fazer nascer "de um trabalho árduo" a "maleabilidade da expressão do corpo com o espaço e com os objetos que o rodeiam".

O projecto, que custa cerca de 800 mil euros, financiado em 85% pelo programa operacional ON2-O Novo Norte, divide-se em Arte Urbana, Estações, Programa de Voluntariado e Gestão de Convocatórias Abertas No "Locomotiva" são parceiros de viagem companhias de teatro como a ACE-Teatro do Bolhão, o Museu de Marionetas do Porto, a Erva Daninha, a PELE-Espaço de Contacto Social e Cultural, o FITEI, o Circulando ou a ESSE-IPP, entre outros.