Governo da Madeira injecta 2,6 milhões no Jornal da Madeira

Matutino é detido em 99% pelo governo regional. Verba soma-se aos 4,2 milhões de euros já inscritos no orçamento regional.

O Jornal da Madeira tem sido referido pela oposição como sendo um veículo de promoção do PSD local
Foto
O Jornal da Madeira tem sido referido pela oposição como sendo um veículo de promoção do PSD local Rui Gaudêncio

O Governo Regional da Madeira vai injectar uma verba de 2,6 milhões de euros no matutino Jornal da Madeira (JM), que detém em conjunto com a diocese, segundo uma resolução publicada no Jornal Oficial da Região (JORAM).

A intenção está manifestada na resolução onde se pode ler que na assembleia geral da empresa marcada para o próximo dia 30 de Dezembro o ponto único será a "aprovação da constituição de suprimentos no montante de 2,6 milhões de euros a efectuar pela sócia Região Autónoma da Madeira à Empresa Jornal da Madeira, Lda. e aprovação da celebração do respectivo contrato".

O Jornal da Madeira tem recebido ao longo dos anos diversos suprimentos do Governo — além das dotações orçamentais — que se afiguram como “empréstimos”, sendo criticados pela oposição madeirense, que olha para o JM como um mau exemplo do uso de dinheiros públicos.

O orçamento regional para 2015 — recentemente discutido e aprovado no parlamento madeirense — prevê uma verba de 4,2 milhões de euros para o JM.

O JM é também referido pela oposição como sendo um veículo de promoção do PSD-M, deixando de fora todo o resto do espectro político regional.

Em Fevereiro de 2014, Jaime Filipe Ramos, do PSD-M, reconhecia no parlamento que o direito de opinião do JM "deve ser de todos os cidadãos e não apenas de alguns", mas reconheceu que "o actual modelo do JM deve ser repensado e revisto em nome dos seus profissionais e da pluralidade".

O JM é detido em 99% pelo Governo Regional, estando o restante (1%) na posse da Diocese do Funchal.