As escolhas individuais dos críticos de música

Os melhores álbuns do ano segundo Gonçalo Frota, João Bonifácio, Mário Lopes, Pedro Rios e Vitor Belanciano

Fotogaleria
Warpaint, das Warpaint, disco do ano na lista de Gonçalo Frota DR
Fotogaleria
Resplandecente, de Ricardo Rocha, segundo lugar na lista de Gonçalo Frota DR
Fotogaleria
Hot Dreams, de Timber Timbre, terceiro lugar na lista de Gonçalo Frota DR
Fotogaleria
Lost In The Dream, dos War On Drugs, disco do ano na lista de João Bonifácio DR
Fotogaleria
Convoque Seu Buda, de Criolo, segundo lugar na lista de João Bonifácio DR
Fotogaleria
Everybody Down, de Kate Tempest, terceiro lugar na lista de João Bonifácio DR
Fotogaleria
Salad Days, de Mac DeMarco, disco do ano na lista de Mário Lopes DR
Fotogaleria
Divide And Exit, dos Sleaford Mods, segundo lugar na lista de Mário Lopes DR
Fotogaleria
Manipulator, de Ty Segall, terceiro lugar na lista de Mário Lopes DR
Fotogaleria
Love, de Amen Dunes, disco do ano na lista de Pedro Rios DR
Fotogaleria
Run The Jewels 2, dos Run The Jewels, segundo lugar na lista de Pedro Rios DR
Fotogaleria
Lese Majesty, de Shabazz Palaces, terceiro lugar na lista de Pedro Rios DR
Fotogaleria
LP1, de FKA twigs, disco do ano na lista de Vitor Belanciano DR
Fotogaleria
How Can You Be Joyful In a World Full Of Knowledge, de Bruno Pernadas, segundo lugar na lista de Vitor Belanciano DR
Fotogaleria
Ruins, de Grouper, terceiro lugar na lista de Vitor Belanciano DR

Gonçalo Frota

1 - Warpaint Warpaint (Rough Trade; Popstock)

Durante um retiro criativo em Joshua Tree, as Warpaint retrocederam no protagonismo que as guitarras eléctricas andavam a reclamar em palco e partiram numa expedição rumo a uma pop tão insinuante quanto esquiva. As canções do disco homónimo confirmam esta como uma das mais inventivas e coesas secções rítmicas actuais e é a reboque da dupla Stella Mozgawa/Jenny Lee Lindberg que se vai infiltrando um tom negro surripiado ao r&b ou ao dub em temas que, passado quase um ano, soam intocados no seu misterioso magnetismo.

2 - Ricardo RochaResplandecente (Mbari)  
3 - Timber TimbreHot Dreams (Arts & Crafts; PIAS Iberia)
4 - D’Angelo - Black Messiah (RCA; Sony Music)
5 - Kelis Food (Ninja Tune; distri. Symbiose)
6 - Rodrigo AmaranteCavalo (Mais Um Discos)
7 - Amélia MugeAmélia com Versos de Amália (ed. autor; LeveMusic; Sony Music)
8 - Moodoïd Le Monde Möö (Entreprise)
9 - Legendary Tiger Man True (Sony Music)
10 - Angel Olsen Burn Your Fire for No Witness (Jagjaguwar; distri. Popstock)
11 - Meridian BrothersSalvadora Robot (Soundway Records)
12 - Damon AlbarnEveryday Robots (EMI Music)
13 - Banda do MarBanda do Mar (Sony Music)
14 - Joana Gama e Luís FernandesQuest (Shhpuma; Clean Feed)
15 - GrouperRuins (Kranky; Flur)
16 - Capitão FaustoPesar o Sol (Sony Music)
17 - Childhood Lacuna  (Marathon / PIAS Iberia)
18 - Ana Tijoux Vengo (Nacional Records)
19 - Mão Morta - Pelo Meu Relógio São Horas de Matar (NorteSul; Valentim de Carvalho)
20 - Norberto Lobo + João Lobo - Oba Loba (Shhpuma; Clean Feed)


João Bonifácio

1 - The War On Drugs - Lost In The Dream (Secretly Canadian, distri. Popstock)

A combinação de guitarras à Dire Straits, Fleetwood Mac e aqueles sintetizadores ds Springsteen circa década de 1980 faz esperar o pior, mas a escrita do grande líder Granduciel está para lá do bom ou do mau gosto. Há canções que parecem jams oscilando entre o etéreo e o épico, uma dor de corno e uma crise existencial remoídas em refrões desenhados a compasso e - sempre - uma guitarra que é bem mais que beer comercial shit, como o grande Mark Kozelek a caracterizou. É música de brancos, sem dúvida, pior ainda, rock de adultos, mas é do bom, do que não tem vergonha do que é - e uma colecção imensa de canções imensas. Vão por mim, que nunca me enganei e raramente tenho dúvidas. JB

2 - Criolo - Convoque Seu Buda (Sky Blue Music)
3 - Kate Tempest - Everybody Down (Big Dada)
4 - Marissa Nadler - July (Bella Union, distri Pias Iberia)
5 - The Men - Tomorrow’s Hits (Sacred Bones; Popstock)
6 - Sun Kill Moon - Benji (Caldo Verde)
7 - Diabo Na Cruz - Diabo na Cruz (Sony)
8 - Sharon Van Etten - Are We There (Jagjaguwar; distri. Popstock)
9 - Swans - To Be Kind (Mute/Young God Records)
10 - Sensible Soccers - 8 (Pad; distri. Groovement)
11 - Thompson - Family (Fantasy Records/Concord Music Group)
12 - Rodrigo Amarante - Cavalo (Mais um Discos; distri. Popstock)
13 - Ibibio Sound Machine - Ibibio Sound Machine (Soundway Records)
14 - Orlando Julius & The Heliocentrics - Jaiyede Afro (Strut)
15 - PharmakonBestial Burden – (Sacred Bones; distri. Popstock)
16 - Robyn Hitchcock The Man Upstairs (Yep Rock, distri. Popstock)
17 - Amen Dunes Love (Sacred Bones, distri. Popstock)
18 - CaribouOur Love (City Slang; distri. Popstock)
19 - Orquestra ImperialFazendo as Pazes com o Swing (Mais Um Discos)
20 - GrouperRuins (Kranky; distri. Flur)

 
Mário Lopes

1 - Mac DeMarco - Salad Days (Captured Tracks, distri. Popstock)
Perante a bem-vinda avalanche de música que nos soterra dia após dia ao longo do ano, perante um panorama cada vez mais descentrado, polarizado, sem troncos comuns, sem rotas a indicar um par de caminhos predominantes (já é assim há mais de uma década e parece que ainda não nos habituámos verdadeiramente), uma lista de melhores discos do ano torna-se mais colecção de empatias, longas companhias e casos de amor assolapado que uma selecção racional, bem medida e melhor pensada, daquilo que o ano legará para a posteridade. Este ano, entre o quotidiano exposto de forma crua pelos Sleaford Mods,o hip hop enquanto clássico instantâneo dos Run The Jewels, o mundo sonoro inventado por Sensible Soccers ou Jibóia, o auge de Legendary Tigerman, o rock’n’roll torrencial de Ty Segall, o regresso de B Fachada ou a revelação de Kate Tempest, prevaleceu a capacidade de fazer de uma canção uma marca num roteiro de vida. Mac DeMarco ofereceu-me este ano 11 dessas canções, as do romantismo enublado de “Salad Days”. Um álbum tão simples quanto desarmante, em estado de graça.

2 - Sleaford Mods - Divide And Exit (Harbinger Sound, distri. Flur)
3 - Ty SegallManipulator (Drag City, distri. Flur)
4 - Thee Oh Sees Drop (Castle Face Records)
5 - Run The Jewels - Run The Jewels 2 (Mass Appeal)
6 - Legendary Tigerman - True (Metropolitana, distri. Sony Music Portugal)
7 - Kate Tempest Everybody Down (Big Dada)
8 - Batida - Dois (Soundway Records)
9 - B Fachada - B Fachada (Mbari)
10 - Sensible Soccers - 8 (Pad/Groovement)
11 - CapicuaSereia Louca (Valentim de Carvalho)
12 - Ariel PinkPom Pom (4AD/Groovement)
13 - Parquet Courts - Sunbathing Animal (What’s Your Rupture, distri. Popstock)
14 - War On Drugs - Lost In The Dream (Secretly Canadian, distri. Popstock)
15 - Dead Combo - A Bunch of Meninos (Dead & Company; distri. Universal Music)
16 - Duquesa - Duquesa (NOS Discos)
17 - Wildest DreamsWildest Dreams (Smalltown Supersounds; distri. Popstock)
18 - Capitão Fausto - Pesar o Sol (Sony Music)
19 - Jibóia - Badlav (Lovers & Lollipops / Shit Music For Shit People)
20 - Grouper - Ruins (Krany; distri. Flur)


Pedro Rios

1. Amen DunesLove (Sacred Bones)
Até 2014, com excepção dos círculos underground, ninguém ligava muito a Damon McMahon. “Love” apresentou a um universo maior um artista que teve muitas vidas, mas não tinha um álbum definitivo (ou, arrisquemos dizê-lo, clássico). Este é-o: tem folk levada pela preguiça melancólica da vida, rock a morder a cauda eléctrica, pianos libertinos guiados espiritualmente por Pharoah Sanders, psicadelia a meia-luz. Repetimos o que já escrevemos: “um monumental álbum, um clássico à nascença”.

2. Run The Jewels - Run The Jewels 2 (Mass Appeal)
3. Shabazz Palaces - Lese Majesty (Sub Pop)
4. Ariel Pink - pom pom (4AD; distri Popstock)
5. FKA twigs - LP1 (Young Turks)
6. Mac DeMarco - Salad Days  (Captured Tracks; distri. Popstock)
7. Angel Olsen - Burn Your Fire For No Witness (Jagjaguwar)
8. The Legendary TigermanTrue (Metropolitana/Discos Tigre Branco/Sony)
9. Sensible Soccers8 (PAD/Groovement)
10. ÉmeÚltimo Siso (Cafetra)
11. Gala Drop II (Golf Channel)
12. New Pornographers - Brill Bruisers (Matador)
13. Grouper Ruins (Kranky; distri. Flur)
14. Ty SegallManipulator (Drag City; distri. Flur)
15. Capicua - Sereia Louca (Valentim de Carvalho)
16. BatidaDois (Soundway Records)
17. Bruno Pernadas - How Can We Be Joyful In A World Full Of Knowledge (Pataca)
18. Dead Combo - A Bunch of Meninos (Dead & Company; distri. Universal)
19. Frankie CosmosZentropy (Double Double Whammy)
20. Banda do Mar - Banda do Mar (Sony)


Vitor Belanciano

1. FKA Twigs - LP1 (XL Recordings, distri. PopStock)
Em Julho, quando a entrevistámos, dizia-nos que tinha dificuldade em pagar as contas ao final do mês. Seis meses depois as coisas devem estar melhor para a inglesa Tahliah Barnett, verdadeiro nome de FKA Twigs, 26 anos, um dos acontecimentos do ano, com o seu álbum de estreia, soul tecnológica, pop futurista, música robótica hipersensível, inesperada, retorcida e alienígena. Um disco capaz de apontar novos rumos para um panorama musical algo angustiado com dilemas, apesar dos bons discos não faltarem: em Portugal (Bruno Pernadas) ou no Brasil (Rodrigo Amarante), recolhidos (Grouper) ou virados para o exterior (Iceace), para dançar (Todd Terje) ou para esconjurar (Perfume Genius), com guitarras (Real Estate) ou de computador (Arca). Basta querer garimpar.
 
2. Bruno PernadasHow Can We Be Joyful In A World Full Of Knowledge (Pataca Discos, distri. Edel)
3. GrouperRuins (Kranky, distri. Flur)
4. Shabazz PalacesLese Majesty (Sub Pop, distri. PopStock)
5. Perfume GeniusToo Bright (Matador, distri. PopStock)
6. Real EstateAtlas (Domino, distri. Edel)
7. ArcaXen (Mute, distri. EMI-VC)
8. Adult JazzGist Is (Spare Thought, distri. PopStock)
9. Rodrigo Amarante Cavalo (Mais Um Discos, distri. PopStock)
10. Todd TerjeIt’s Album Time (Olsen, distri. PopStock)
11. Flying Lotus You’re Dead (Warp, distri. Symbiose)
12. Aphex Twin Syro (Warp, distri. Symbiose)
13. Caribou Our Love (City Slang, distri. PopStock)
14. Iceage Plowing Into The Field Of Love (Matador, distri. PopStock)
15. D’ AngeloBlack Messiah (RCA, distri. Sony)
16. Wildbirds & PeacedrumsRhythm (Leaf, distri. Flur)
17. Theo ParrishAmerican Intelligence (Sound Signature)
18. Azealia BanksBroke With A Expensive Taste (Prospect Park)
19. Neneh Cherry Blank Project (Smalltown Supersound)
20. Lykke Li I Never Learn (LL, distri. Universal)