Antigo homem forte da segurança da China preso por corrupção

Zhou Yongkang, que chegou a dominar a hierarquia de segurança do Estado, foi detido e expulso do Partido Comunista Chinês.

Prisão de Zhou Yongkang é histórica na China
Foto
Prisão de Zhou Yongkang é histórica na China Jason Lee / Reuters

Um proeminente ex-dirigente do Partido Comunista Chinês (PCC) foi detido sob acusação de vários crimes de corrupção, numa manobra sem precedentes na política chinesa.

A notícia avançada esta sexta-feira pela agência estatal Xinhua representa o culminar de uma investigação iniciada há cerca de um ano centrada em Zhou Yongkang e no seu círculo mais próximo. O combate à corrupção vista como um dos elementos disruptivos dentro do PCC tem sido uma das grandes prioridades do Presidente, Xin Jinping.

Mas a prisão de alguém como Zhou tem um significado muito mais abrangente que o de uma simples campanha anticorrupção. Zhou foi chefe do aparato de segurança interna do Estado antes de se retirar e pertencia ao Comité Permanente do Politburo do PCC — um órgão muito restrito e o mais poderoso na estrutura do partido único.

Durante os anos em que esteve no poder, Zhou alargou os seus interesses à área do petróleo, chegando mesmo a liderar a CNPC, a empresa estatal. A sua influência foi crescendo na mesma proporção que a riqueza pessoal que foi averbando e chegou a ser considerado o membro mais poderoso do Comité Permanente.

A investigação lançada sobre Zhou já era vista como movida por razões políticas. Na luta pelo poder no seio do PCC, que ditou a ascensão de Xi, o antigo chefe da segurança do Estado esteve do lado da facção derrotada. A perseguição — e agora, a prisão — deste “tigre” era importante para Xi como forma de afirmar o seu poder dentro do partido único.

Entre as acusações feitas a Zhou estão “violações graves da disciplina partidária”, “recepção de largas quantias em subornos”, “revelação de segredos de Estado e do partido” e “prática de adultério com várias mulheres”.

O braço da justiça chinesa começou a aproximar-se de Zhou através dos seus antigos colaboradores, que foram caindo um a um. Aquele que se tornou mais célebre foi muito provavelmente Bo Xilai, um político em ascensão caído em desgraça e que no ano passado foi condenado a prisão perpétua.

Detido e expulso do PCC, resta agora a Zhou aguardar o julgamento, embora o facto de o caso ter passado para os procuradores significa que há indícios muito fortes, nota o jornalista da BBC Zhuang Chen. “O suspense agora está em saber se Zhou será acusado e julgado em público, da mesma forma do seu antigo aliado, o desgraçado Bo Xilai.”