Sócrates recebeu mais duas visitas ao terceiro dia na prisão

Companheiro da ex-mulher de Sócrates levou-lhe os livros que este pedira.

Nesta quinta-feira já há menos curiosos nas imediações do presídio de Évora
Fotogaleria
Nesta quinta-feira já há menos curiosos nas imediações do presídio de Évora Pedro Nunes
Fotogaleria
Pedro Nunes
Fotogaleria
Pedro Nunes
Fotogaleria
Pedro Nunes
Fotogaleria
Pedro Nunes
Fotogaleria
Pedro Nunes
Fotogaleria
Pedro Nunes

José Sócrates recebeu mais duas visitas nesta quinta-feira no Estabelecimento Prisional de Évora, onde o antigo primeiro-ministro deu entrada há três dias depois de ser sido posto em prisão preventiva no processo em que é investigado por corrupção.

O primeiro a visitá-lo hoje foi Manuel Costa Reis, companheiro da ex-mulher de José Sócrates, Sofia Fava, que na terça-feira tinha sido uma das primeiras pessoas a visitá-lo.

No compasso de espera para a entrada para visitar o recluso 44, Manuel Costa Reis praticamente não quis prestar declarações aos jornalistas. Confirmou apenas que é amigo de Sócrates e que traz "as palavras que os amigos trazem sempre". Questionado sobre uma mala e um saco que trazia, respondeu que são os livros pedidos e "um casaco porque está frio". "Acredito na sua inocência", repetiu.

Na terça-feira, quando Sofia Fava visitou o antigo primeiro-ministro na prisão, a primeira mulher de Sócrates e mãe dos seus dois filhos disse que este lhe tinha pedido que lhe levasse livros de filosofia.

Menos curiosos junto ao presídio
Dez minutos depois chegava uma outra amiga, Fernanda Ramos, antiga governadora civil de Évora, cargo que desempenhou de 2005 a 2011. "Venho na qualidade de amiga do engenheiro José Sócrates", disse. Sobre o processo, adiantou apenas que não dispõe "de todos os dados para ter uma opinião formada", defendendo que "a justiça deve exercer a sua função mas também respeitar o cidadão" e que acredita na inocência do antigo líder socialista.

"Tenho uma admiração muito grande por ele e continuarei a ter", completou, referindo que o conhece desde os 18 anos.

Fernanda Ramos deixou o estabelecimento prisional cerca de 20 minutos depois de ter entrado dizendo que encontrou o José Sócrates que sempre conheceu "convicto de que a sua inocência será provada" e de que a detenção "é uma injustiça". "Está muito bem psicologicamente e espera que se faça justiça", acrescentou.

Manuel Costa Reis também já terminou a visita a José Sócrates, 35 minutos depois de ter entrado. Explicou que não conseguiu entregar umas luvas e um gorro e que o resto ainda terá de ser revistado.

Sobre o amigo, disse que o encontrou "sorridente e cheio de humor". "Fartámo-nos de rir e de falar do nosso Benfica", adiantou, acrescentando que o ex-governante está "espectacular" e "óptimo". Questionado sobre se estava a ser irónico, visto que Sócrates está detido, respondeu: "Os homens invulgares vêm nos livros."

Nesta quinta-feira já há menos curiosos nas imediações do presídio de Évora e os que ali vão mantêm-se mais distantes. Só quando chega alguém, como aconteceu com estas duas visitas, é que alguns populares aproveitam para gritar frases de ordem sobre José Sócrates, mas que também incluem governantes do actual executivo liderado por Pedro Passos Coelho.