Torne-se perito

Intel investe em rapaz que transformou um kit da Lego numa impressora de Braille

Shubham Banerjee é o empreendedor mais novo a receber um investimento do género nos EUA.

Banerjee num fórum da Intel
Fotogaleria
Banerjee num fórum da Intel Braigo Labs
O jovem com o primeiro e o mais recente protótipo da sua impressora
Fotogaleria
O jovem com o primeiro e o mais recente protótipo da sua impressora Braigo Labs

Aos 13 anos, Shubham Banerjee, um aluno de Santa Clara, na Califórnia, já é o presidente-executivo da sua própria empresa, a Braigo Labs, uma startup que quer criar tecnologias “humanamente optimizadas”, “inovadoras, acessíveis e que ajudem a resolver problemas da vida”. De um kit Lego Robotics criou uma impressora de Braille e perante o sucesso do aparelho foi desenvolvendo outros protótipos. A Intel estava a atenta e está a investir na startup do jovem.

No ano passado, Banerjee teve contacto pela primeira vez com o que era o Braille, um sistema de escrita táctil com pontos em relevo que permitem a leitura aos invisuais. Nada sabia sobre como liam as pessoas cegas e a sua curiosidade levou-o até à Internet, onde realizou as suas primeiras investigações. Uma das coisas que descobriu foi que as impressoras de Braille tinham preços elevados, chegando a ultrapassar os dois mil dólares.

“Quando descobri o preço de uma impressora de Braille fiquei chocado”, confessou Banerjee ao Business Insider, acrescentando que apenas queria ajudar as pessoas cegas. “Tinha um Lego Robotics e questionei-me: ‘Porque não tentar?’”.

Em Fevereiro passado, pegou em blocos de um Lego Mindstorms EV3 e de peças que adquiriu numa loja de materiais de construção e estava criado o primeiro protótipo de uma impressora da Braigo Labs, uma conjugação das palavras Braille e Lego. A Braigo v1.0 funcionava na perfeição e valeu a Banerjee uma distinção nos The Tech Awards 2014 e um convite para uma feira de ciência na Casa Branca destinada a novos criadores.

Sempre com o valor de uma impressora de Braille no mercado em mente, o jovem continuou a aperfeiçoar o seu protótipo e criou a BraigoTM v2.0, que levou até ao Intel Developer Forum 2014. A Intel interessou-se pelo trabalho de Banerjee e, no início deste mês, o jovem anunciava no seu site que a empresa de tecnologia ia investir capital na Braigo Labs, uma das 16 startups que iam contar com investimentos da Intel este ano. Banerjee tornou-se o mais jovem empreendedor a receber um investimento do género nos Estados Unidos.

O valor atribuído às startups não foi divulgado, mas segundo o Business Insider será de centenas de milhares de dólares.

“O investimento da Intel vai criar novas oportunidades para trabalhar com profissionais e eventualmente levar o produto a mais de 50 milhões de pessoas cegas no mundo”, afirma Banerjee no site da sua empresa, que pretende colocar no mercado uma impressora de Braille por menos de 500 dólares.

Sugerir correcção