Há 25 anos, Sam Simon juntou-se a Matt Groening e James L Brooks para criar os Simpsons DR
Foto
Há 25 anos, Sam Simon juntou-se a Matt Groening e James L Brooks para criar os Simpsons DR

Criador dos Simpsons tem cancro terminal e vai doar 100 milhões de dólares antes de morrer

Sam Simon quer ajudar a organização PETA e organismos de solidariedade social. “Sinto que é minha a responsabilidade de falar por aqueles que não o podem fazer”

O nome Sam Simon pode não ser do conhecimento da maioria das pessoas mas vai ficar para sempre ligado à criação dos Simpsons, a série de animação que há 25 anos faz rir o mundo inteiro com sátiras sobre a sociedade norte-americana. Simon foi diagnosticado com um cancro no cólon e foram-lhe dados três meses de vida. Dois anos depois continua activo mas a palavra terminal continua a estar no seu historial médico. Filantropo há muitos anos, decidiu doar a sua fortuna.

A decisão está tomada e vai concretizar-se. Sam Simon, que em 1989 se juntou a Matt Groening e James L Brooks para criar e desenvolver os Simpsons, mas que está afastado há vários anos da série, apesar de continuar a beneficiar financeiramente desta animação enquanto produtor executivo, vai doar 100 milhões de dólares à organização de defesa dos animais PETA e a outras organizações de solidariedade social.

Numa entrevista à estação de televisão norte-americana NBC, contou alguns dos momentos mais pessoais desde que soube que sofre de um cancro terminal, diagnosticado em 2012, e o trabalho que tem sido feito pelo médico que o acompanha desde então.

PÚBLICO -
Foto
Simon continua a participar em iniciativas pelos direitos dos animais Sam Simon Foundation

"Mostraram-me os meus exames e disseram que aqueles eram os exames de um homem morto. Eu disse: ‘É curável?’ E eles disseram: 'Nós não usamos essa palavra’. Ele disse: 'Não posso curá-lo, mas o meu trabalho é mantê-lo vivo’. E ele tem feito um trabalho notável. Sinto-me óptimo, nunca estive mais feliz, por isso agradeço-lhe doutor", contou.

Com apenas três meses de vida, segundo as previsões iniciais, Simon iniciou uma intensa batalha contra o cancro, a que juntou mais trabalho de filantropia. Tem trabalhado de perto com a fundadora da PETA para angariar verbas no combate à violação dos direitos dos animais. É ainda membro da direcção da organização Save the Children e criou a sua própria fundação — Sam Simon Foundation — para ajudar animais. “Sinto que é minha a responsabilidade de falar por aqueles que não o podem fazer”, sublinhou. Há alguns meses, Simon liderou uma campanha de resgate de mais de 400 chinchilas que viviam em condições cruéis numa quinta de criação da Califórnia.

Simon admite que a doença não tem sido fácil de combater mas que consegue ver algo de positivo nesta “doença horrível”. "O cancro tem sido uma luta, uma viagem, uma aventura e a experiência mais incrível da minha vida."