Joana Gaspar recebeu o prémio em Bruxelas DR
Foto
Joana Gaspar recebeu o prémio em Bruxelas DR

Jovem cientista portuguesa premiada pela Federação Internacional de Diabetes

Joana Gaspar vai doar o prémio de dez mil euros à Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal. Resultados preliminares da investigação devem ser conhecidos dentro de um ano

A cientista Joana Gaspar recebeu esta quarta-feira, em Bruxelas, o Prémio Europeu da Federação Internacional de Diabetes para jovem investigador, pelo estudo de como, após uma refeição, o organismo é capaz de aumentar a sensibilidade à insulina, anunciou a instituição.

O dinheiro do prémio — dez mil euros — vai ser doado à Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal, onde, a par do Centro de Doenças Crónicas da Universidade Nova de Lisboa, a investigadora está a fazer o seu pós-doutoramento.

Joana Gaspar explicou à agência Lusa que a linha de investigação consiste em perceber como é que, após uma refeição, "o organismo é capaz de aumentar a sensibilidade à insulina", hormona responsável pela redução do açúcar no sangue.

Segundo a investigadora, o metabolismo da insulina, ao nível do fígado, leva, após a ingestão de alimentos, "à produção de outras moléculas, que podem ou não derivar da degradação da insulina". As moléculas, juntamente com a insulina, vão "actuar nos tecidos periféricos, nomeadamente no músculo, no rim e no coração, e vão aumentar a sensibilidade à insulina, promovendo a captação da glucose e a regulação dos níveis de glucose", defendeu.

A investigação, para a qual são esperados resultados preliminares dentro de um ano, inclui experiências com ratinhos e com pessoas saudáveis que têm irmãos com diabetes tipo 2, e por isso em risco de virem a contrair a doença.