Pontiak regressam, oferecem três concertos e deixam um disco

Trio americano actua em Alcobaça, Porto e Cascais. Pouco depois, chegará Revolve 7". Dois inéditos com edição da promotora e editora Revolve.

Foto

Os Pontiak já vão sendo muito cá da casa. A banda dos irmãos Van, Jennings e Lain, que inventaram o seu espaço no universo do rock enquanto planagem sónica no bucolismo da Virginia rural, esteve em Portugal em Maio para um par de datas. Vinham apresentar Innocence, o mais recente álbum de uma carreira iniciada em 2005 com o EP White Buffalo. Menos de seis meses depois, estão de volta.

Esta sexta-feira tocam em Alcobaça, na Associação Recreativa Povoense, acompanhados pelos Asimov, Marvel Lima e The Blue Drones. Sábado, vamos vê-los no Maus Hábitos, no Porto (Toulouse na primeira parte), e domingo em Cascais, no Stairway Club (Asimov na abertura). Neste regresso, porém, já sabemos que deixarão para o futuro algo mais palpável do que a memória dos concertos.

A Revolve, a promotora e editora responsável, por exemplo, pelo festival Flow de Mayo (em parceria com a produtora Bando à Parte) em que os Pontiak actuaram em Maio, não se limitou a marcar-lhes data no Porto para o regresso. Brevemente estará disponível para pré-encomenda Revolve 7", edição que agrupa dois inéditos da banda americana. Underneath us like a snake (gravado no último Verão, propositadamente para este disco) e Colors of the limitless (registado na mesma estação, em 2008) compõem o primeiro lançamento internacional da Revolve. Estará disponível em Dezembro (tal como, de resto, outra edição, esta nacional, a dos Papaya). Será como que os Pontiak a regressarem novamente. Para ficar.