Embalagem é o tema que une ilustradores nacionais e estrangeiros em São João da Madeira

Uma das novidades desta edição é a criação de uma colecção de postais, oito desenhados por Susana Nobre e 12 por Dino Vázquez.

Foto
Adriano Miranda

O 7.º Encontro Internacional de Ilustração de São João da Madeira arrancou com lotação esgotada nos quase 500 lugares da Casa da Criatividade e com várias novidades que rumam no mesmo sentido, ou seja, afirmar a iniciativa no mapa nacional e internacional.

Até domingo, ilustradores portugueses e de vários pontos do mundo - Argentina, Itália, Inglaterra, Chile, Espanha - orientam e acompanham workshops, lançam livros e dão autógrafos, observam trabalhos, visitam empresas, discutem ideias. Depois do lápis, do sapato, da Oliva e do chapéu, símbolos emblemáticos da cidade são-joanense, surge a embalagem como tema central desta edição que colocou de parte os convites aos ilustradores e criou um concurso internacional. Das 62 propostas foram escolhidas 30 que estão expostas na Torre da Oliva. A ilustração vencedora será conhecida no domingo, dia de encerramento do encontro.

“Apostamos na área da indústria e escolhemos a embalagem. São João da Madeira tem uma empresa desse sector conhecida a nível mundial”, adianta Conceição Pinheiro Brandão, uma das comissárias do evento promovido pela junta de freguesia são-joanense com um orçamento a rondar os 20 mil euros. No elenco de ilustradores internacionais, que coordenam workshops, estão nomes importantes da arte como Marta Monteiro, Chris Haughton, Eduardo Salavisa, André da Loba, Philippe Ug, Cintia Martín, entre outros. Catarina Gomes, designer e ilustradora, que venceu a 3.ª edição do concurso Art Books Wanted com o "Livro (de actividades” para Massajar a Imaginação" está esta sexta-feira no Museu da Chapelaria para falar das novas possibilidades do livro impresso, a partir das 10h00, e no sábado na Oliva creative Factory para uma oficina das 10h00 às 13h00.

Uma das novidades desta edição é a criação de uma colecção de postais, oito desenhados por Susana Nobre e 12 por Dino Vázquez, e uma agenda de bolso para 2015 devidamente ilustrada com trabalhos desta edição. Os ilustradores de palmo e meio também tiveram direito a oficinas e a um concurso para todos os níveis de ensino, do pré ao secundário. José Alberto Rodrigues, comissário do encontro, está satisfeito com a participação. “Está a ser um sucesso. Tem sido muito interessante até pela dinâmica que está a ser criada. Os ilustradores internacionais levarão a imagem do encontro para o exterior”, refere.