Morreu general Gabriel Espírito Santo, ex-chefe do Estado Maior-General das Forças Armadas

General foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem Militar da Torre e Espada e com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Avis.

Foto
Pedro Cunha / Arquivo

O antigo chefe do Estado Maior-General das Forças Armadas (CEMGFA) Gabriel Espírito Santo morreu na sexta-feira à noite, aos 78 anos.

Nascido em Bragança, o general Gabriel Augusto Espírito Santo cumpriu 48 anos de serviço em Moçambique e Angola.

Em Abril de 1997, então com 61 anos, foi empossado chefe do Estado-Maior do Exército (CEME), tendo desempenhado anteriormente as funções de vice-CEME, para as quais fora escolhido em Junho de 1995.

Autor de vários livros, como Da arte da guerra à arte militar e A Grande Estratégia de Portugal na Restauração 1640-1668, Gabriel Espírito Santo estava na situação de reforma desde Outubro de 2000.

Exerceu funções de comando, de instrução e de ensino, tendo desempenhado, como general, os cargos de representante militar permanente de Portugal no Comité Militar da NATO, quartel-mestre do Exército, vice-chefe do Estado-Maior do Exército, chefe do Estado-Maior do Exército e chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas.

Foi professor no Instituto de Altos Estudos Militares, assessor de Estudos no Colégio da Defesa NATO (em Roma), professor convidado da Universidade Católica (Lisboa) e presidente da direcção da Revista Militar.

O general Gabriel Espírito Santo foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem Militar da Torre e Espada e com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Avis.

Na mensagem de condolências que enviou à família de Gabriel Espírito Santo, divulgada no sítio na internet da Presidência da República, Cavaco Silva salienta o "militar de excepção, de vasta cultura e cativante afabilidade no trato", que "deixa obra de referência no campo da estratégia e da história militar, áreas sobre as quais desde sempre se interessou e que constituem importante legado para as jovens gerações de militares".

"O general Espírito Santo foi um militar distintíssimo e dos mais prestigiados da sua geração, tendo ao longo da sua brilhante carreira desempenhado funções da mais elevada responsabilidade na instituição militar de que se destacam as de Chefe do Estado-Maior do Exército e Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas", afirmou o Presidente da República.

"Ao longo da sua vida distinguiu-se pela sua conduta exemplar, grande nobreza de carácter, elevado sentido de Estado e, sobretudo, pela notável dedicação e patriotismo com que serviu o país", escreveu ainda Cavaco Silva.