DR
Foto
DR

Afonso Reis Cabral vence Prémio Leya com “O Meu Irmão”

Autor tem 24 anos e é descendente do autor de "Os Maias", Eça de Queiroz

O "Meu Irmão", de Afonso Reis Cabral, é o romance vencedor do Prémio LeYa 2014, no valor de cem mil euros. O anúncio foi feito nesta sexta-feira, ao final da manhã, por Manuel Alegre, presidente do júri, que adiantou que o autor tem 24 anos e é descendente do escritor José Maria Eça de Queiroz, autor de "Os Maias".

O júri, que se reuniu esta quinta e sexta-feira, incluía ainda os escritores Nuno Júdice, Pepetela e José Castello, o ensaísta José Carlos Seabra Pereira, da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, Lourenço do Rosário, Reitor do Instituto Superior Politécnico e Universitário de Maputo, e Rita Chaves, professora da Universidade de São Paulo.

Na conferência de imprensa de apresentação do prémio estiveram também o Presidente Executivo da LeYa, Isaías Gomes Teixeira, o director-coordenador de Edições Gerais da LeYa, e João Amaral, Secretário do Prémio LeYa. "O Meu Irmão" foi escolhido entre 361 originais, de autores de 14 países.

Na sua declaração, o júri observa que o livro premiado “trata de um tema delicado” e que “poderia suscitar uma visão sentimental e vulgar: a relação entre dois irmãos, um deles com síndrome de Down”. No entanto, acrescenta a nota, “a realidade é trabalhada de uma forma objectiva e com a violência que estas situações humanas podem desenvolver, dando também um retrato social que evita tomadas de decisão fáceis, obrigando a um investimento numa leitura que nos confronta com a dificuldade de um mundo impiedoso”. E há ainda no romance, diz o júri, “uma tonalidade lírica”, que surge “na relação que se estabelece entre dois deficientes e que salva, através de apontamentos de poesia e de humor, o desconforto de quem vive este problema”.

Afonso Reis Cabral nasceu em Lisboa, em 1990, e cresceu no Porto onde estudou, no Colégio dos Cedros até ao 9º ano e depois na Escola Secundária Rodrigues de Freitas. Em 2005 publicou o livro de poemas "Condensação" onde reúne poemas escritos entre os 10 e os 15 anos. Escreve desde os 9 anos, começou na poesia e depois experimentou a prosa. Em 2008 ficou em 8º lugar no "7th European Student Competition in Ancient Greek Language and Literature" entre 3532 concorrentes de 551 escolas europeias e mexicanas, tendo sido o único português a concorrer.

É licenciado em Estudos Portugueses e Lusófonos pela Universidade Nova de Lisboa, instituição onde obteve também um mestrado em Estudos Portugueses. Trabalhou como revisor em diversas editoras e sempre se imaginou a trabalhar na área cultural.

A primeira edição do Prémio Leya teve lugar em 2008 e premiou o jornalista e escritor brasileiro Murilo Carvalho pelo seu romance "O Rastro do Jaguar". No ano seguinte venceu o romance "O Olho de Hertzog", do moçambicano João Paulo Borges Coelho, e na edição de 2010 o júri decidiu, por unanimidade, não atribuir o prémio, alegando a falta de qualidade dos originais a concurso. Em 2011 foi distinguido o romance "O Teu Rosto Será o Último", estreia literária do português João Ricardo Pedro, e em 2012 venceu o também português Nuno Camarneiro, com o romance "Debaixo de Algum Céu".