Torne-se perito

Espírito Santo International e Rioforte entram em insolvência

As duas empresas vão ser liquidadas para pagar dívidas.

Ricardo Salgado
Foto
Ricardo Salgado Nuno Ferreira Santos

A justiça luxemburguesa negou à Espírito Santo International e à sua subsidiária Rioforte, que controlava os interesses não financeiros do grupo, a hipótese de gestão controlada. As duas sociedades vão assim entrar em insolvência e ser liquidadas para pagar aos credores.

“Esta decisão enquadra-se no entendimento uniforme e quase automático do tribunal luxemburguês que, nos últimos anos, tem decidido pela liquidação das empresas em dificuldades financeiras, que têm solicitado a sua protecção”, lê-se num comunicado emitido pela Rioforte. 

A gestão controlada, que as duas empresas tinham pedido, permitiria que estas continuassem a funcionar e fossem reestruturadas, enquanto beneficiavam de uma protecção em relação aos credores.

A venda dos activos das duas empresas será agora conduzida pelo liquidatário judicial nomeado pelo tribunal, “sendo os credores da insolvente ressarcidos pelo produto da liquidação integral do património do devedor, que será realizada da forma mais célere possível”, acrescenta o comunicado.

A Rioforte tem activos na área do imobiliário, agropecuária e turismo, entre os quais a cadeia de hotéis Tivoli e a Herdade da Comporta, bem como empresas agrícolas no Brasil, Paraguai e Moçambique. Recentemente, a empresa vendeu a participação na Espírito Santo Saúde, no âmbito da OPA lançada pelos chineses da Fosun, donos da seguradora Fidelidade, que foi concluída esta semana

Já no final do mês passado, a Rioforte tinha vendido a Espírito Santo Viagens à empresa suíça Springwater, por um valor não revelado. Neste caso, a empresa esclareceu que o negócio foi aprovado pelo tribunal do comércio do Luxemburgo, que estava ainda a analisar o pedido de gestão controlada.

 No início deste mês, a justiça já tinha rejeitado o pedido de gestão controlada feito pelo Espírito Santo Financial Group, a sociedade responsável pelas participações nas empresas da área financeira.