Fotogaleria
DR
Fotogaleria
Ana - Um Palíndromo

FIKE: 39 curtas de 16 países entre Évora e Beja

Entre os dias 21 e 25 de Outubro há, pelo menos, 39 curtas-metragens que podes ver gratuitamente em Évora e Beja

Curtas-metragens, exposições, workshops e master classes, são algumas das actividades que podes encontrar em Évora e Beja, entre os dias 21 e 25 de Outubro, no festival FIKE. A entrada é gratuita.

Esta é a 12ª edição deste festival internacional de curtas-metragens, que se realiza desde 2001. Estão nove filmes portugueses a concurso, no evento que, afirma a produção, pretende “dar visibilidade à cinematografia portuguesa”. A organização do FIKE criou “passagens de filmes paralelas ao concurso”, onde são exibidas curtas realizadas por escolas de cinema portuguesas, bem como “boas produções” que não foram possíveis de levar a concurso.

“Como o festival é internacional, a competição fica dividida entre todos os países que estão a concurso. Então, costumamos dar sempre destaque à produção feita pelas escolas de cinema portuguesas, e às boas produções que não conseguimos levar a concurso. Para isso optamos por passar essas curtas, que não foram apuradas para o concurso, nas nossas salas paralelas”, explicou ao P3 Carla Dias, uma das produtoras do evento. Em Évora o destaque para os filmes portugueses será dado no Auditório Soror Mariana, em Beja a exibição será feita no Espaço Os Infantes.

No total são 39 as curtas-metragens, de 16 países, que estão, efectivamente, a concurso. Existem prémios para a Melhor Ficção, o Melhor filme de Animação, o Melhor Documentário, a Melhor Curta-Metragem Portuguesa, a Melhor Curta-Metragem Europeia, o Melhor Argumento, a Melhor Fotografia, a Melhor Representação, Prémio do Público e Prémio da Organização. “Os prémios não são monetários, são apurados os vencedores e existe um troféu FIKE que é entregue ao vencedor, com um diploma”, frisou a produtora. A exibição das curtas em competição será feita no Cineclube da Universidade de Évora e no Teatro Pax Julia, em Beja.

O FIKE conta, ainda, com a participação de alguns convidados, como a Patrícia Casey, produtora, que irá guiar uma master class sobre produção cinematográfica. Rastko Ciric é outro dos nomes convidados, o realizador e professor de animação e ilustração sérvio irá dar um Workshop, além de ser um dos jurados do concurso.

Este ano o FIKE inova pelo “desenvolvimento do festival nas cidades”, nota Carla. “Estamos a criar actividades paralelas ao festival, associámo-nos a bares e galerias onde inauguramos exposições”, continua. “A maior novidade deste ano é precisamente a maior abrangência de pessoas das cidades envolvidas no festival sob a forma de multiplicação de espaços”.

O objectivo do festival, garante a produção, é “levar mais cultura para Évora e para todos ao distritos alentejanos”. Há dois anos que o festival, que começou por se realizar apenas em Évora, é replicado em Beja, na mesma data. No próximo ano a organização pretende que o mesmo seja estendido, também, para Portalegre. “Decidimos replicar o festival porque temos um compromisso com o Alentejo", , conclui a produtora. "Assumimos desde o princípio que este era um festival para abranger os três distritos alentejanos”.

Sugerir correcção