Comissão eleitoral confirma maioria absoluta da ADI em São Tomé e Príncipe

Partido de Patrice Trovada, cujo Governo foi derrubado por uma moção de censura em 2012, tem agora 33 deputados em 55 .

Foto
Trovoada tem agora o apoio da maioria dos deputados PATRICIA DE MELO MOREIRA/AFP

A Acção Democrática Independente (ADI), liderada por Patrice Trovoada, elegeu 33 deputados que lhe garantem a maioria absoluta no Parlamento de São Tomé e Príncipe – segundo os resultados provisórios das eleições de domingo divulgados pela Comissão Eleitoral Nacional, que confirmam as primeiras informações sobre o escrutínio.

Nas eleições de 2010, a ADI elegeu 26 parlamentares que lhe deram uma maioria relativa na Assembleia Nacional, composta por 55 deputados. O Governo minoritário de Trovoada viria a ser derrubado por uma moção de censura, em Dezembro de 2012. Depois de recusar indicar um substituto para o então primeiro-ministro, foi substituído por um governo apoiado por toda a oposição e nomeado pelo Presidente Manuel Pinto da Costa, um adversário político do líder da ADI.

“Serei o primeiro-ministro de todos os santomenses. Dos que votaram em mim, e dos escolheram outras opções”, disse Patrice Trovada à rádio nacional, citado pela agência AFP.

No escrutínio de domingo, o segundo partido mais votado foi o Movimento de Libertação de São Tomé e Príncipe (MLSTP/PSD), antigo partido único, que elegeu 16 deputados. Na anterior legislatura tinha 21.

O Partido de Convergência Democrática (PCD) elegeu cinco deputados, menos dois do que há quatro anos. A União da Democracia e Desenvolvimento, UDD, de Gabriel Costa, chefe do Governo nos últimos dois anos, que não estava no Parlamento, conseguiu eleger um representante. Fora da Assembleia fica o Movimento Democrático Força da Mudança /Partido Liberal (MDFM/PL), do ex-Presidente Fradique de Menezes.

Na ilha do Príncipe, onde se realizaram eleições regionais, a União para a Mudança e Progresso do Príncipe (UMPP) viu renovada a confiança dos eleitores, tendo conseguido cinco mandatos contra dois do MLSTP/PSD.

Nas autárquicas, realizadas em simultâneo, segundo o jornal digital Téla Nón,  a ADI ganhou as câmaras de Lembá e Cantagalo ao MLSTP/PSD, conseguiu um empate em número de mandatos com este partido em Lobata, e reforçou posições em Água-Grande e Mé-zochi. Só a autarquia de Caué resistiu ao “vendaval eleitoral” e continua a ser liderada pelo MLSTP/PSD.