Ilustração

Hong Kong pelo traço de um português

Fotogaleria

Os últimos dias de Luís Simões têm sido passados nas estradas e praças de Hong Kong, ocupadas por milhares de manifestantes que lutam por eleições democráticas. O português de 35 anos, que está há nove meses naquele território asiático, sai à rua com cadernos, lápis e pincéis e desenha o que vê: um protesto “organizado”, em ambiente “pacífico”. Os “hong kongers”, que fazem uso de aplicações móveis para terem acesso a informação, passeiam pelas ruas de forma ordeira — mas as últimas notícias dão conta de que o governo admite confrontar os manifestantes caso estes ocupem edifícios governamentais. Luís Simões vai continuar a desenhar e a partilhar os resultados na página da “World Sketching Tour”. Lê mais aqui

Sugerir correcção