Governo alemão reconhece que economia vai crescer menos que o previsto

Crise na Ucrânia é apontada como a principal razão para que a economia não cresça 1,8% em 2014.

Governo liderado por Angela Merkel está a rever em baixa as suas estimativas
Foto
Governo liderado por Angela Merkel está a rever em baixa as suas estimativas John Macdougall/AFP

A economia alemã poderá crescer menos em 2014 do que os 1,8% previstos pelo Governo, embora permaneça num nível "muito aceitável" face aos seus parceiros da União Europeia, disse este Domingo o ministro da economia germânico.

Sigmar Gabriel, ministro da economia da Alemanha, explicou à rádio Deutschlandfunk que a crise na Ucrânia afectou o clima de investimento no país, não só nas empresas, como nas relações comerciais com a Rússia."Pode ser que, no final do ano, os números do Produto Interno Bruto (PIB) saiam um pouco abaixo da nossa previsão de 1,8%", salientou.
"Não obstante, a Alemanha ainda apresentará, em termos de comparação a nível europeu, uma boa actividade económica", garantiu, adiantando que o mercado de trabalho se mantém "robusto".
Em Abril, o governo alemão avançou com a previsão de que o crescimento da maior economia da Europa deveria ser de 1,8% no final deste ano.
Os dados oficiais divulgados em Agosto mostram que o PIB se contraiu 0,2% no segundo trimestre deste ano, evolução que foi atribuída pelo governo alemão às tensões geopolíticas na Ucrânia e no Médio Oriente.