Líder dos Radiohead lança novo álbum em site de partilha de ficheiros

Quase 100 mil pessoas já descarregaram Tomorrow’s Modern Boxes no BitTorrent. Uma vez mais, Thom Yorke desafia as convenções da indústria musical.

O líder do Radiohead, uma das bandas mais respeitadas em todo o mundo
Fotogaleria
O líder do Radiohead, uma das bandas mais respeitadas em todo o mundo Nuno Ferreira Santos
Fotogaleria
A capa de “Tomorrow’s Modern Boxes”, o novo álbum de Thom Yorke a solo DR

Thom Yorke é o primeiro artista a disponibilizar um álbum inteiro via BitTorrent, mediante o pagamento de seis dólares, ou 4,73 euros. Por esse preço, os utilizadores poderão descarregar oito temas e o videoclip de A brain in a bottle.

O álbum de Thom Yorke é o primeiro teste de um novo sistema de pagamento introduzido pelo BitTorrent, que quer refazer a sua imagem de site ligado à pirataria (“As pessoas estão equivocadas sobre o BitTorrent e pensam que só serve para pirataria”, disse ao Guardian Matt Mason, o principal gestor de conteúdos da empresa).

Thom Yorke e a BitTorrent descrevem a experiência como uma forma alternativa de distribuição de música, dispensando a tradicional mediação de terceiros — editoras discográficas, Apple (que controla o iTunes) e Amazon. O BitTorrent proporciona uma via mais directa entre artista e público, permitindo aos criadores pouparem os custos adicionais de um distribuidor, o que em teoria significa que podem ganhar mais dinheiro, além de terem mais controlo sobre o seu trabalho e a forma como é apresentado e comercializado.

Numa nota de lançamento de Tomorrow’s Modern Boxes que se encontra no site do Bit Torrent, Thom Yorke descreve a decisão de disponibilizar o álbum nesta plataforma como “uma experiência” que, caso resulte, “pode vir a ser uma forma eficaz de devolver algum controlo aos criadores sobre a comercialização do seu trabalho”. “Dando a possibilidade às pessoas que fazem música, vídeo ou qualquer outro tipo de conteúdo digital de o venderem elas próprias. Dispensando os autodenominados mediadores. Se resultar, qualquer um pode fazer exactamente o mesmo que nós fizemos. O mecanismo do torrent não requer nenhum carregamento de ficheiros para um servidor, custos de hospedagem ou treta de nuvem.” Soa como um manifesto.

Não é a primeira vez que Thom Yorke tenta contornar as práticas habituais da indústria musical. Apesar de se terem tornado numa das bandas mais famosas e respeitadas do mundo, com uma aura de coolness associada a experimentação, os Radiohead têm desde há muito uma visão irónica e crítica da indústria musical e têm procurado formas alternativas de distribuição. Em 2007, o álbum In Rainbows foi disponibilizado online sem preço fixo, deixando aos fãs a decisão de pagarem o que entendessem pelo seu download.

Outras bandas têm feito experiências com métodos alternativos de acesso à sua música, mas com menos sucesso, como se viu com a recente oferta gratuita de um novo álbum dos U2 no iTunes. O álbum foi descarregado em todos os iPhones mesmo sem os seus utilizadores terem pedido, e o descontentamento forçou a Apple a criar um site de remoção onde os utilizadores descontentes podem apagar o download de Songs of Innocence.

“Se isso é a melhor ideia que conseguem ter — vamos arranjar a maior banda do mundo para enfiar uma coisa nos smartphones que toda a gente odeia… A história dos U2 é uma forma de estimular a pirataria, mais do que qualquer coisa que estejamos a fazer”, disse Matt Mason, do Bit Torrent, em entrevista ao Guardian. “Chatear 500 milhões de pessoas é uma péssima ideia.”

Até sábado de manhã, o álbum de Thom Yorke tinha sido descarregado no BitTorrent 99 mil vezes. Tomorrow’s Modern Boxes estará também disponível em formato vinil.

Título corrigido às 16h: substituído "site de pirataria" por "site de partilha de ficheiros"